Aconteu
Ricardinho eleito pela 5.ª vez o melhor de futsal do mundo

O internacional português Ricardinho foi eleito pelo Futsal Planet, no dia 10, o melhor jogador de futsal do mun­do pela quinta vez, um recorde, e pela quarta vez consecutiva.
O jogador ao serviço do Inter Movistar, Espanha, que superou os quatro troféus do brasileiro Falcão, já tinha conquistado o prémio nas últimas três edições, em 2014, 2015 e 2016, e também em 2010, quando conduziu o Benfica ao triunfo na UEFA Futsal Cup.
Ricardinho, de 32 anos, totalizou 917 votos do painel de 211 eleitores dos prémios para os melhores de 2017, contra 508 do espanhol Carlos Ortiz Jiménez, seu companheiro de equipa no Inter, e 332 de Santiago Basile, ‘capitão’ da selecção argentina.


Faleceu o marinheiro Bruno

No passado dia 26 de Dezembro realizou-se o funeral do marinheiro José Manuel Bruno, conhecido como marinheiro Bruno.
Com ligações antifascistas desde antes o 25 de Abril no concelho que o viu nascer, Vila Franca de Xira, a Revolução de Abril apanhou-o como praça da Armada. Desde logo as praças tiveram na intervenção e acção consequente do marinheiro Bruno um dos seus principais representantes em defesa dos valores e princípios da Revolução de Abril. Valores e princípios que nunca abandonou até ao fim dos seus dias, tal como nunca abandonou a inquietação permanente sobre o curso da vida política.   
A entrega do marinheiro Bruno à causa de levar por diante o processo revolucionário, conduziu-o a ser um dos principais dinamizadores da construção da Comissão Dinamizadora do Associativismo das Praças (CDAP) cujos órgãos executivos integrou. Expulso da Marinha em resultado do avanço contra-revolucionário de 25 de Novembro, viu reconstituída a sua carreira, ao abrigo da Lei aprovada em 1999, passando à reforma como Cabo. Em 2013, junto com outros marinheiros que com ele construiram e constituíram a CDAP, foi um activo participante na tarefa de deixar num livro colectivo o testemunho daquele período (livro que saiu em 2014 com o titulo A Revolução de Abril – Praças da Armada) porque, dizia ele, as Praças da Armada também foram protagonistas e escreveram belas páginas no processo.


Preços subiram em média 1,4% em 2017

Os preços no consumidor subiram em média 1,4% no ano passado, acima da taxa de inflação média de 0,6% em 2016, devido sobretudo ao aumento dos preços da energia, informou dia 11 o Instituto Nacional de Estatística (INE).
A taxa de variação homóloga em Dezembro do índice de preços no consumidor (IPC) foi superior à taxa de variação média (de 1,4%) do mesmo índice, ao atingir 1,5%, taxa de variação homóloga idêntica à de Novembro.
«O aumento da taxa de variação do IPC entre 2016 e 2017 foi influenciado pelo comportamento da inflação subjacente e pela evolução positiva dos preços dos produtos energéticos, tendo registado variações médias anuais de, respectivamente, 1,1% e 3,5% (0,7% e menos 1,8% em 2016)», explica o INE.


Teatro da Trindade apresenta peça 150 Milhões de Escravos

Estreou na quinta-feira, 11, a peça 150 Milhões de Escravos, da actriz e encenadora Maria João Luís, que tem como base «Esteiros», a obra mais emblemática do neorrealismo português, de Soeiro Pereira Gomes, onde se conta a história dos «filhos dos homens que nunca foram meninos».
Assumida homenagem ao movimento neorrealista por­tuguês, que serviu para denunciar e intervir, mostrando a realidade nacional do fascismo sem filtros, a peça sobe à cena numa altura em que, segundo dados oficiais da Amnistia Internacional, há 153 milhões de crianças escravas no planeta. É esta «dura realidade» dos nossos dias que Maria João Luís denuncia, alertando para a nova escravatura infantil.


Morreu Jean Salem, filósofo marxista

O filósofo francês Jean Salem faleceu no sábado aos 65 anos. Nascido em Argel a 16 de Novembro de 1952, era filho de Henri Alleg (jornalista do Alger Republicain e do l’Humanité, dirigente comunista e autor de obras como O Século do Dragão ou O Grande Salto Atrás e do célebre livro A Questão, que constitui uma veemente denúncia da brutal repressão praticada pela França contra a resistência argelina), cuja prisão levou Jean Salem a estudar na União Soviética, numa escola para filhos de revolucionários de todo o mundo. Com uma carreira académica multifacetada, nas áreas da filosofia, da história, da ciência política, das letras e da economia, era professor de filosofia na Sorbonne, onde dirigiu o Centro de História dos Sistemas de Pensamento Moderno. Especialista em filosofia clássica, nomeadamente grega, aprofundou o estudo da ética e do materialismo e foi responsável por um seminário sobre Karl Marx. Da sua vasta obra consta Lénine e a Revolução, publicado em Portugal pelas Edições Avante!, e muitos outros títulos, quer sobre filosofia quer sobre temas da actualidade política e ideológica.



Resumo da Semana
Frases