Alemanha prolonga suspensão do reagrupamento familiar
A câmara baixa do parlamento alemão aprovou, dia 1, o prolongamento por seis meses, até 31 de Julho, da suspensão do direito de reagrupamento familiar dos refugiados.
A medida, proposta pela União Democrata- -Cristã (CDU), da chanceler Angela Merkel, foi aprovada com 376 votos a favor e 298 contra, tendo sido apoiada pelo Partido Social-Democrata (SPD). Dias antes, os dois partidos acordaram a introdução de um regime, a partir de Agosto, que estabelece o tecto mensal de mil pessoas que poderão entrar na Alemanha ao abrigo do reagrupamento familiar.
Este direito foi suspenso no início de 2016, com o pretexto do grande afluxo de refugiados no ano anterior, quando o país acolheu quase um milhão de pessoas.
O prolongamento da suspensão, em vigor desde o princípio de 2016, foi criticado pelos deputados do partido A Esquerda (Die Linke) e dos Verdes, por considerarem que a medida é contrária aos direitos humanos.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: