Romper o bloqueio informativo que castiga o Saara Ocidental

Jornalistas, dirigentes e activistas da Associação de Amigos do Povo saarauí denunciaram, numa iniciativa realizada no final de Janeiro em Palma de Maiorca, Espanha, que o Reino de Marrocos tudo faz para que não sejam divulgados «testemunhos sobre o que se passa no Saara Ocidental». Por isso apelam a que o ocupante seja contrariado na sua acção e objectivos.

Um exemplo concreto foi a expulsão, a 26 de Janeiro, de uma investigadora britânica, Lore Porruy, que se encontrava no Saara Ocidental a recolher dados sobre a exploração de recursos naturais no território por Marrocos e a situação sócio-económica da população saarauí residente, lembrou o jornalista Ahmed Ettanji.

A jornalista Yolanda Sobero, da RTVE, por seu lado, afirmou que as autoridades marroquinas procuram impedir o acesso da comunicação social ao território ocupado, e quando não o conseguem, colocam os profissionais sob vigilância e, não raramente, expulsam-nos sob os mais variados pretextos.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: