Breves
Jornal argentino processado por nacionalistas polacos

A Liga Polaca Contra a Difamação, grupo nacionalista com ligações ao Partido da Lei e da Justiça, no governo, vai processar o jornal argentino Pagina 12 por um artigo sobre o massacre de judeus na aldeia de Jedwabne em 1941, publicado em Dezembro do ano passado. Este é o primeiro processo a coberto da lei que criminaliza qualquer sugestão de cumplicidade da Polónia com o Holocausto, apesar de o referido artigo ter sido publicado antes da aprovação da nova e contestada legislação. Segundo o jornal The Guardian noticiou no dia 5 de Março, o jornal argentino não tinha até esse momento recebido qualquer notificação oficial do processo, tendo tomado conhecimento dele pela imprensa internacional. Em resposta, publicou testemunhos de argentinos de origem judaica descrevendo os maus-tratos que sofreram às mãos de muitos polacos.


UE vai penalizar importações de produtos americanos

A União Europeia vai aplicar direitos aduaneiros às importações de produtos norte-americanos, designadamente as motocicletas Harley-Davidson, o whisky e o vestuário da marca Levi’s.

O anúncio, feito dia 2 pelo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, surge um dia depois de o presidente dos EUA, Donald Trump, ter manifestado a intenção de impor taxas aduaneiras às importações de aço (25%) e de alumínio (10%), com vista a proteger a indústria siderúrgica nacional.

A União Europeia é o segundo produtor mundial de aço, sector liderado à distância pela China, enquanto os EUA são o maior importador deste produto, comprando cerca de 30 milhões de toneladas por ano, num valor de 24 mil milhões de dólares, segundo dados apurados pela AFP.

As exportações europeias para os EUA representam cerca de 5300 milhões de euros, no caso do aço, e 1100 milhões, no caso do alumínio. Todavia, os principais fornecedores dos EUA são o Canadá, Brasil, Coreia do Sul e México.


Militantes do SPD aprovam coligação com Merkel

Os militantes do Partido Social-Democrata Alemão (SPD) aprovaram, por ampla maioria, o acordo de governo com a União Democrata-Cristã (CDU) e a União Social-Cristã (CSU), segundo revelou, dia 4, a direcção do partido.

Numa consulta em que votaram 78,8 por cento dos cerca de 463 mil militantes do SPD, 66 por cento manifestaram-se a favor da renovação do governo com a chanceler Angela Merkel e 34 por cento contra.

A consulta põe fim a um impasse pós-eleitoral que dura há mais de cinco meses, permitindo que Merkel inicie o seu quarto mandato consecutivo.


Justiça alemã aprova proibição de veículos a gasóleo

O Tribunal Superior Administrativo da Alemanha confirmou, dia 27, que os municípios de Estugarda e de Dusseldorf têm o direito de interditar em certas zonas urbanas a circulação de veículos a gasóleo mais antigos.

Mesmo não existindo uma lei nacional, o tribunal considerou que as duas cidades podem aplicar a medida, com vista a reduzir a emissão de gases poluentes, no âmbito dos planos de qualidade do ar.

A sentença recusa provimento ao recurso apresentado por dois estados federados contra a decisão dos referidos municípios e abre portas a que outras cidades com altos níveis de poluição do ar sigam o exemplo.

Estima-se que dos 15 milhões de veículos a gasóleo que circulam na Alemanha apenas 2,7 milhões cumprem as normas actuais sobre emissões (Euro 6).


Puigdemont renuncia à investidura

O ex-presidente do governo regional catalão e líder do Juntos pela Catalunha, Carles Puigdemont, declarou, dia 1, que renuncia temporariamente à sua investidura à frente de novo executivo, propondo Jordi Sanchez, número dois da lista, actualmente em prisão preventiva, para ocupar o cargo.

O anúncio coincidiu com a aprovação de uma resolução pelo parlamento da Catalunha que reafirmou o apoio a Puigdemont e denunciou a «deriva autoritária» do Estado espanhol.

O independentista considerou que, na situação actual, a sua renúncia «é a única maneira de acordar um novo governo o mais depressa possível».