Eleições exemplares em Cuba

A Comissão Eleitoral Nacional de Cuba divulgou, dia 19, os resultados finais das legislativas no país, que decorreram entre 21 de Janeiro e 11 de Março, dia da votação final, efectuada de forma directa e secreta. 85,65 por cento dos quase 7,4 milhões de cidadãos habilitados a votar participaram no sufrágio que designou os 605 deputados da Assembleia Nacional do Poder Popular (ANPP).

A entidade eleitoral validou, igualmente, todo o processo até à escolha final dos deputados, o qual se inicia com as candidaturas a delegados às assembleias municipais, de onde saem os candidatos a delegados às assembleias provinciais e à ANPP, envolvendo, por isso, a participação directa de milhares de pessoas em milhares de plenários. Nenhum eleito pode assumir qualquer cargo sem reunir pelo menos 50 por cento dos votos mais um no respectivo círculo, devendo a eleição processar-se tantas vezes quantas as necessárias até que se obtenha no mínimo a maioria simples.

Na composição da nova ANPP, assinala-se a presença de 60 por cento de brancos e 40 por cento de negros e mestiços. Mulheres são 322 num total de 605 deputados (mais de 53 por cento). Prevê-se que a Assembleia eleja, a 19 de Abril, a presidência do plenário e o Conselho de Estado.

No total dos deputados, 133 participam noutros órgãos do Poder Popular, 41 integram organismos estatais e de governo, 39 são dirigentes de organizações de massas, 46 são dirigentes políticos de vários níveis e 22 são militares; 18 são dirigentes administrativos ou especialistas, 11 lideram organizações sociais e nove são dirigentes estudantis; quatro integram a procuradoria-geral da república e igual número representa instituições religiosas.

Quase 95 por cento do total de boletins depositados nas urnas foram considerados válidos, informou ainda a comissão eleitoral cubana.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: