PCP em defesa do direito à cultura

Uma delegação do PCP, encabeçada pelo Secretário-geral, esteve reunida no dia 22, no Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa, com a administração e representantes dos trabalhadores do Organismo de Produção Artística (OPART). Acompanhado por Jorge Pires, da Comissão Política, e pela deputada Ana Mesquita, o Secretário-geral do Partido reafirmou aos jornalistas, à saída do encontro, a importância estratégica da cultura e a necessidade de se resolver dois dos principais problemas que afectam o sector: o subfinanciamento público e a precariedade que afecta a generalidade dos seus trabalhadores. O dirigente comunista contrapôs a excelência dos músicos, actores, bailarinos e demais trabalhadores da cultura à política negativa dos sucessivos governos.

Dias depois do encontro, os trabalhadores da OPART – que tutela entidades como a Companhia Nacional de Bailado, a Orquestra Sinfónica Portuguesa ou o Teatro Nacional de São Carlos – concentraram-se junto ao Palácio da Ajuda, onde está instalado o Ministério da Cultura, a exigir, entre outras reivindicações, alterações «drásticas» na proposta de regulamento interno. Caso estas exigências não sejam atendidas, os trabalhadores admitem recorrer a várias formas de luta.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: