PCP contra aumento de fundos da UE a partidos

Os deputados do PCP no Parlamento Europeu votaram contra o aumento do financiamento públicos dos «partidos políticos europeus» e das «fundações políticas europeias», que já hoje vivem quase exclusivamente destes fundos. Quanto ao PS, PSD, CDS e BE votaram a favor. Numa nota emitida no dia 17, os deputados comunistas lembram que já em 2018 as verbas canalizadas para estas estruturas ascendia a 32,4 milhões de euros no caso dos «partidos» e 19,3 nas «fundações ».
Reafirmando a sua posição contrária ao regulamento que prevê a existência destas entidades e o seu financiamento à custa do orçamento da União Europeia, os eleitos comunistas realçam que estes «partidos» e «fundações», de carácter supranacional, foram criadas e promovidas pela União Europeia para «dar suporte aos sucessivos aprofundamentos federalistas», à margem da vontade e do escrutínio dos povos. Correspondem, portanto, a uma construção artificial.
A isto acresce o facto de os designados partidos e fundações europeus serem tutelados pela própria UE, que «determina a conformidade quer dos seus programas que da sua organização  interna, com os princípios que a própria UE considera admissíveis». O que, para o PCP, revela qual a sua finalidade: «tentar diminuir a importância e o papel dos partidos políticos nacionais, com as suas especificidades e identidades próprias».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: