A realização de assembleias é componente da democracia do PCP
Realização de assembleias essencial ao reforço do Partido

DEMOCRACIA Em todo o País e aos mais variados níveis, estão a realizar-se assembleias das organizações do PCP, nas quais se fixam objectivos políticos e organizativos e se elegem os organismos dirigentes.

A realização de assembleias das organizações do Partido ocupa um ponto específico na resolução aprovada em Janeiro pelo Comité Central relativa às medidas de reforço do Partido, no qual se aponta a importância de realizar, este ano, um «grande número de assembleias».

Ao realçar a sua importância, a resolução sublinha que a realização de assembleias das organizações partidárias é «uma das componentes da democracia interna integrante dos princípios de funcionamento do Partido», que têm como objectivos a eleição dos organismos dirigentes, o balanço e avaliação do trabalho realizado e da situação nas áreas do âmbito da responsabilidade de cada umas das organizações e a definição de orientações para a intervenção, no quadro da orientação geral do Partido.

No concelho de Évora realizou-se recentemente a 9.ª Assembleia da Organização Concelhia, que contou com a presença dos membros da Comissão Política João Dias Coelho e Patrícia Machado e na qual participaram mais de 80 militantes comunistas. Em várias intervenções analisou-se a situação do concelho nas diferentes vertentes e apontou-se linhas de intervenção.

Na resolução política aprovada constam 23 medidas prioritárias para um concelho mais justo e solidário, entre as quais a construção do novo hospital público; o pleno aproveitamento da ligação ferroviária Sines-Elvas-Madrid; a definição de um plano de investimentos da Administração Central na gestão pública dos recursos hídricos; a valorização dos trabalhadores; a definição de um plano de diversificação económica; e a revalorização de Évora como Património da Humanidade.

Organizar para intervir

Sob o lema «Valorizar os Trabalhadores e as Populações. Organizar, Intervir, Transformar» decorreu a 10.ª Assembleia da Organização Concelhia de Oeiras, que contou com a presença de Armindo Miranda, da Comissão Política, que proferiu a intervenção de encerramento.

Na resolução política aprovada define-se os objectivos orgânicos a atingir nos próximos anos: o recrutamento de pelo menos 25 novos militantes em 2018; a atribuição de tarefas regulares a todos os que integram organismos de direcção; o incremento do número de militantes a pagar regularmente a sua quota e o aumento do valor médio da quotização; a venda semanal de mais 25 exemplares do Avante! e de 10 exemplares do Militante a cada nova edição; a edição regular de boletins e comunicados. O documento traça ainda as orientações para a organização e acção do Partido junto dos trabalhadores e de camadas e sectores como os reformados, mulheres, jovens, emigrantes, empresários, etc.

A organização de freguesia do Tortosendo, concelho da Covilhã, realizou igualmente a sua assembleia, a 9.ª, na qual esteve presente Vladimiro Vale, da Comissão Política. O debate travado centrou-se em quatro grandes questões, ao mesmo tempo prioridades para o reforço do Partido na freguesia: elevação da militância, formação política e ideológica e fortalecimento da capacidade de direcção; estruturação do Partido e ligação às massas; reforço de intervenção e ligação aos trabalhadores, às empresas e locais de trabalho; e aumento da capacidade financeira.

Para além da nova Comissão de Freguesia, composta por 11 elementos, foram também eleitos os delegados da organização à 11.ª Assembleia da Organização Concelhia da Covilhã, que se realiza em breve.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: