PT insiste em Lula para presidência

A direcção nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) anunciou que vai avançar com a candidatura de Lula da Silva à presidência do Brasil, considerando que a sua libertação se converteu numa questão central para plenitude do processo democrático. Entre as iniciativas que o PT vai levar a cabo até à formalização da candidatura destaca-se um encontro nacional, a 28 de Julho, em que serão adiantadas as linhas programáticas daquela.

A decisão foi assumida numa reunião que terminou na segunda-feira em Curitiba, onde Lula da Silva se encontra a cumprir 12 anos de prisão resultado de um processo judicial que as forças democráticas e progressistas brasileiras acusam de estar ferido de legalidade e de ser politicamente motivado.

Em Curitiba, permanece uma vigília de protesto e pela libertação de Lula da Silva. Diariamente, reportam meios de comunicação social locais e agências, chegam às imediações do presídio federal centenas de manifestantes oriundos de muitas regiões do Brasil, todos com a mesma exigência: Lula livre.

O acampamento junto ao cárcere foi desmantelado e, a semana passada, os apoiantes da democracia e de Lula foram agredidos por um grupo de assalto perante a passividade da polícia. Um acordo com as autoridades permitiu transferir a estrutura permanente para um prédio vizinho, porém todos os dias os manifestantes regressam ao local original.

Entretanto, a Justiça brasileira insiste em interditar visitas a Lula da Silva, avolumando a indignação colectiva para com a perseguição contra aquele que é já considerado o primeiro preso político desde o fim da ditadura militar no Brasil (1985). O Prémio Nobel da Paz, Adolfo Pérez Esquivel, e o teólogo Leonardo Boff foram alguns dos impedidos.

Gleisi Hoffman, presidente do PT, denunciou, segunda-feira, 23, que o objectivo é silenciar e isolar Lula da Silva.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: