Mobilização para a grande jornada de luta do 1.º de Maio
A luta é o caminho no ensino e no mundo do trabalho

JUVENTUDE A Direcção Nacional (DN) da JCP, reunida nos dias 14 e 15, analisou a situação política e social dos jovens portugueses, e delineou estratégias para intensificar a luta e o reforço da organização.

Na Resolução Política aprovada na reunião a DN apela não só à «continuidade da luta» como à «elevação do seu patamar» a partir dos problemas concretos das escolas, faculdades e locais de trabalho.

Nesse sentido, os jovens comunistas vão continuar a dinamizar a campanha «Contra os exames nacionais» no Ensino Secundário, um «processo injusto de avaliação», que «desvaloriza o trabalho feito pelos estudantes em 2/3 do ano lectivo», e «uma das principais barreiras à progressão no ensino, penalizando quem tem menos condições sócio-económicas, contribuindo para a elitização da educação».

A JCP condena a existência de exames nacionais e exige a valorização da avaliação contínua, sistema de avaliação que exige que as escolas estejam dotadas dos meios necessários para a implementar.

Esclarecer e mobilizar
Os jovens comunistas estarão, também, nas instituições de Ensino Superior, com a campanha «O Jovem», procurando denunciar os problemas sentidos, particularmente as barreiras económicas, e afirmando as suas propostas, assim como nas Escolas Profissionais (EP), aprofundando o seu conhecimento sobre esta realidade, procurando intervir regularmente e com elementos concretos, para esclarecer e mobilizar os estudantes. Nas EP o objectivo passa por «construir mais movimento associativo», para que os estudantes possam ter um espaço de representação e defesa dos seus interesses e direitos.

De igual forma, a intervenção junto dos jovens trabalhadores continuará com a mobilização para o 1.º de Maio, «esclarecendo que é pela luta que lá vamos e que a precariedade, baixos salários e horários desregulados não são inevitáveis».

Cultura para todos
Com o Concurso de Bandas da Festa do Avante!, sob o lema «Cultura para todos – É pela luta que lá vamos», a JCP vai contactar milhares de jovens em todo o País. Entretanto, já se realizaram eliminatórias no Porto e em Loures, estando já mais de 60 bandas inscritas.

Solidariedade internacionalista

A DN aprovou uma moção onde manifesta a sua solidariedade com o povo e a juventude sírios. No documento, os jovens comunistas exigem o fim do apoio aos grupos terroristas e da agressão externa, assim como o respeito da soberania do povo sírio, pelo direito de decidir o seu futuro sem ingerências externas.

Na reunião condenou-se, ainda, as «manobras golpistas no Brasil», os «actos e manobras visando a desestabilização da economia e sociedade venezuelanas» e a «brutal violência das forças militares israelitas».

Desde a última reunião, a JCP participou no VI Congresso da LKSM da Rússia, nos dias 10 e 11 de Fevereiro, no 23.º Congresso da SDAJ da Alemanha, nos dias 24 e 25 de Março, e no 14.º Congresso La Fede da Argentina, de 13 a 15 de Abril.

Acampamento pela Paz em Serpa

Nos dias 27, 28 e 29 de Junho, Serpa acolhe o Acampamento pela Paz, organizado por um conjunto de organizações que estão a trabalhar para o sucesso da Plataforma pela Paz e Desarmamento, onde se integra a JCP. A iniciativa vai juntar mais uma vez centenas de jovens de todo o País, com debates, torneios desportivos, workshops, animações culturais e concertos.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: