Breves
Dois por cento na Brisa

O CESP/CGTP-IN chegou a acordo com o Grupo Brisa, a 20 de Abril, para uma actualização de dois por cento na tabela salarial. Como refere o sindicato, num comunicado emitido nesse dia, foi conseguida a criação de mais um grau na carreira de «ajudante de obra civil», para o qual ficou garantida a passagem de, no mínimo, 35 por cento dos trabalhadores. O complemento do subsídio de doença passa a cobrir os primeiros três dias, nas baixas de 30 ou mais dias. É paga uma inspecção automóvel até Maio de 2019 e mantém-se a distribuição de resultados. São atribuídos «vales sociais» de 18 euros por mês, por cada dependente com menos de sete anos de idade, e uma prestação pecuniária de 122,50 a 224,50 euros, consoante o nível de ensino que os dependentes frequentam.


AE e RC na Medway

Os novos Acordo de Empresa e Regulamento de Carreiras, que vigoram a partir de 1 de Julho na MSC/Medway (antiga CP Carga) são «conquistas dos trabalhadores» e «fruto da mobilização colectiva e unidade», afirma o SNTSF, num comunicado de 27 de Abril. As negociações, concluídas no final de Janeiro, prevêem uma nova grelha salarial, sendo que a implementação da nova regulamentação de carreiras é antecedida de uma actualização salarial de um por cento mais 15 euros, com efeitos ao primeiro dia deste ano. Em Maio, aumenta o subsídio de refeição, por efeito do acordo salarial de 2017.
Admite-se voltar à luta contra o «agente único», caso o Governo não dê andamento às questões colocadas pelos sindicatos subscritores do acordo de 29 de Novembro, que suspendeu a nova regulamentação ferroviária até ao fim de Abril.


Ajudas de custo no IPMA

A aprovação pelo Governo de um regime especial de pagamento de ajudas de custo aos investigadores e técnicos do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, na monitorização de stocks piscícolas, é o resultado da greve realizada de 19 a 24 de Abril, assinalou a Federação da Função Pública, no dia 26.