10 de Maio de 1968 – A noite das barricadas

Num contexto marcado pela politização dos movimentos estudantis, pela crescente oposição à política austeritária do governo do general Charles de Gaulle e de contestação à Guerra do Vietname, o emblemático bairro francês Quartier Latin, em Paris, foi palco de violentos confrontos que passaram à história como a «noite das barricadas». Enquanto no país se multiplicavam as greves e protestos por melhores condições de trabalho, nas universidades combatia-se contra o repressivo regime disciplinar, pela liberdade de expressão e contra o imperialismo norte-americano. Os protestos começaram em Nanterre. A Universidade, ocupada pela polícia, foi encerrada a 3 de Maio. Em resposta, os estudantes da Sorbonne saem à rua três dias depois, numa manifestação a que se juntam outros contingentes estudantis, académicos e intelectuais. A repressão policial é sem precedentes e a Sorbonne é encerrada. Nova manifestação, a 10 de Maio, mobiliza dezenas de milhares de pessoas. Ao cair da noite, os manifestantes entrincheiram-se no Quartier Latin. A polícia ataca de madrugada. Dos confrontos resultam mais de três centenas de feridos. O repúdio generalizado pela repressão fica patente na greve geral de 20 de Maio que paralisou a França.

 


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: