PS mente na Moita

A CDU acusa o PS de «esquemas ardilosos» para instrumentalizar instituições do concelho da Moita e enganar as populações. Em causa está a cedência de um terreno, pela Câmara Municipal (CM) e Junta de Freguesia da Baixa da Banheira, para a construção da sede do Agrupamento 371 do Corpo Nacional de Escutas, num processo que está a ser desenvolvido pro bono pela CM, com o apoio das autarquias em todas as fases.

Tudo começou há alguns meses, quando um dos vereadores do PS mentiu a membros da direcção do Agrupamento 371, dizendo que o terreno estava em venda. «Esta acção inqualificável não foi anulada ou justificada, mesmo depois de o presidente da Câmara ter esclarecido, em reunião pública, que o terreno não estava à venda», estando «destinado à construção da sede do Agrupamento 371», relata a Coligação PCP-PEV, em nota divulgada no dia 23 de Abril.

Entretanto, na Assembleia Municipal da Moita, o PS recomendou à autarquia a cedência do terreno, ignorando todo o processo e o envolvimento das autarquias no mesmo, apesar de a CDU ter denunciado aquela prática.

Na tentativa de capitalizar o descontentamento que tentou criar, o PS coloca a recomendação nas redes sociais, dando a ideia de que a CDU votou contra a cedência do terreno. «Repudiamos este tipo de comportamento e consideramos que não vale tudo em política», acusam os eleitos da Coligação PCP-PEV, concluindo: «Estas práticas são indignas em democracia».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: