«Admita-se enfermeiros!»

«Para evitar a ruptura dos serviços, admita-se enfermeiros!» – exige o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, ao adiantar que realiza várias iniciativas de protesto e de luta durante a semana que antecede o Dia Internacional do Enfermeiro (12 de Maio), as quais têm por objetivo defender a contratação de enfermeiros.

Numa nota de dia 4, o SEP/CGTP-IN recorda que «a maioria dos serviços está em situação de pré-ruptura» e «todos os indicadores demonstram que as equipas de enfermagem estão com desgaste extremo físico e psicológico».

O Ministério da Saúde e o Governo «comprometeram-se a admitir o número de enfermeiros necessários» para responder ao alargamento das 35 horas semanais aos enfermeiros em contrato individual de trabalho (CIT), que ainda fazem 40 horas. Ora, tal passagem acontece a 1 de Julho, mas «a realidade dos hospitais continua a ser a recusa sistemática, por parte do Ministério da Saúde, a deferir os pedidos de admissão».

Enfermeiros do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra fizeram três horas de greve, no dia 3, e concentraram-se frente à entrada principal dos Hospitais da Universidade de Coimbra (principal pólo do CHUC), com o objectivo de reclamar a contratação de enfermeiros, o cumprimento de direitos (em especial os de parentalidade, no que toca a organização dos horários de trabalho) e o pagamento de horas extraordinárias realizadas.

Medidas para responder a problemas semelhantes são exigidas num abaixo-assinado de enfermeiros do Centro Hospitalar Tondela-Viseu. Dirigido ao ministro da Saúde, o documento «é subscrito pela maioria dos enfermeiros do CHTV», informou a direcção regional da Beira Alta do SEP.

Amanhã, 11, e no dia 14, segunda-feira, vão realizar-se plenários de enfermeiros no Centro Hospitalar Cova da Beira e na Unidade Local de Saúde de Castelo Branco. «Serão decididas formas de luta», adianta a direcção regional do SEP.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: