Deve-se manter na negociação do ACT a unidade que deu resultado
Unidade na acção consegue aumento intercalar na IP

RESULTADO A 9 de Maio, na antevéspera de começarem mais dois dias de greves, a plataforma de 14 organizações sindicais anunciou que foi alcançado acordo para um aumento salarial intercalar.

«Com a unidade, mobilização, luta e negociação, a plataforma de 14 organizações sindicais conseguiu furar o bloqueio do Governo quanto ao aumento dos salários», destacaram aquelas estruturas, entre as quais estão o Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário, a Fectrans e a Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais, todos da CGTP-IN.

O aumento intercalar, a partir deste mês, surgiu descrito no comunicado conjunto que foi divulgado no dia 9, dando conta dos resultados obtidos e da suspensão das greves que estava convocada para dias 10 e 11.

Sob a forma de um «subsídio de pré-integração do IRCT» (instrumento de

regulamentação colectiva de trabalho, que será o Acordo Colectivo de Trabalho do Grupo IP), os salários-base até 1300 euros têm um acréscimo de 23 euros. Este aumento é de 16 euros para retribuições-base entre 1300 e 2000 euros, e de 10 euros para remunerações-base de valor superior.

Pago durante oito meses e também nos subsídios de férias e de Natal, o aumento intercalar integrará a tabela salarial a partir de 1 de Janeiro de 2019, em termos que vão decorrer da negociação do ACT. Esta deve ficar concluída até ao final do corrente semestre.

Anteontem, no Ministério do Planeamento e das Infra-estruturas, foi acordado com os sindicatos o protocolo negocial, fixando reuniões semanais.

No comunicado de dia 9 realça-se que estes aumentos intercalares representam ganhos para os trabalhadores das empresas do Grupo IP (IP Infraestruturas, IP Telecom e IP Engenharia e Património), independentemente do vínculo laboral e sem que houvesse qualquer contrapartida do lado sindical.

«A partir de agora, temos de continuar o trabalho no quadro de unidade na acção de que resultou este acordo», conclui o comunicado, recordando que neste processo participa igualmente a Comissão de Trabalhadores da IP.

Reuniões na EMEF e na CP
Também anteontem, informou ainda o Sindicato dos Ferroviários, foi fixado o calendário de reuniões de negociação na EMEF. Neste caso, as reuniões dão seguimento ao acordo de 27 de Abril, que de igual forma representou ganhos para os trabalhadores sem a perda de quaisquer direitos. As reuniões serão quinzenais.

A administração da EMEF entregou agora «um texto de clausulado geral, em que não introduz nenhuma matéria polémica», comprometendo-se a entregar uma proposta de Regulamento de Carreiras na próxima reunião, dia 30.

Na CP, onde foi primeiro alcançado acordo, a 17 de Fevereiro, está marcada uma primeira reunião bilateral, para dia 21, segunda-feira.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: