Breves
Torra inclui dirigentes detidos no governo da Catalunha

O novo chefe do governo regional da Catalunha, o independentista Quim Torra, formou, dia 19, o governo regional, que inclui antigos ministros que estão detidos ou exilados.

Madrid qualificou de «provocação» as nomeações de Jordi Turull e Josep Rull, ambos detidos, e Antoni Comín e Lluís Puig, exilados na Bélgica, e declarou que vai avaliar «a viabilidade» do novo executivo regional, sobre o qual mantém a tutela. Quim Torra tomou posse como chefe do governo catalão, dia 17, em Barcelona sem jurar respeitar a Constituição espanhola, mas apenas «a vontade do povo catalão», numa cerimónia à qual não assistiu qualquer representante do Governo central.


Telecom Italia quer ajuda do governo para despedir

A Telecom Italia anunciou, dia 17, ter solicitado ao Ministério do Trabalho autorização para recorrer ao «despedimento técnico» de quatro mil trabalhadores, procedimento que permite a suspensão do trabalhador, com a garantia de uma parte da remuneração.

A empresa evoca o fracasso das negociações com os sindicatos para efectuar uma reorganização que prevê o despedimento negociado ou a reforma antecipada de seis mil trabalhadores e a contratação de dois mil jovens.

No primeiro trimestre de 2018 a empresa registou um aumento dos lucros em oito por cento para 216 milhões de euros.


Ferroviários mobilizam-se em Espanha

As Comissões Obreiras (CCOO), principal sindicato no sector dos caminhos-de-ferro de Espanha, anunciou, dia 19, acções de luta que se realizarão a partir de Junho até Setembro.

Em causa estão reivindicações salariais, mas também o objectivo de travar a política de privatizações e a degradação do serviço público ferroviário.