Oxfam mostra lucros não partilhados

Num relatório divulgado dia 14, a Oxfam França mostra que as grandes empresas cotadas (CAC 40) tiveram um lucro líquido superior a 93 mil milhões de euros, relativos a 1,3 biliões de volume de negócios, ou seja, mais de metade do Produto Interno Bruto do país.

Tendo recuperado o nível de rentabilidade anterior à crise financeira, com os lucros a aumentarem mais de 60 por cento desde 2009, a enorme riqueza apropriada tem beneficiado sobretudo os accionistas e os dirigentes das grandes empresas, indica o estudo realizado em parceria com o Basic (Bureau d'Analyse Sociétale pour une Information Citoyenne).

Com efeito, mais de dois terços dos lucros gerados entre 2009 e 2016 foram distribuídos aos accionistas, o que deixou apenas 27,3 por cento para investimento e 5,3 por cento para os trabalhadores.

O estudo indica ainda que, em 2017, 82 por cento da riqueza criada no mundo beneficiaram apenas um por cento dos mais ricos, enquanto 50 por cento dos mais pobres apenas receberam migalhas.

Em França, afirma o documento, os dez por cento mais ricos detêm mais de metade da riqueza criada, ao mesmo tempo que aos 50 por cento mais pobres cabem apenas cinco por cento do bolo.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: