Despropositadas e mesquinhas exigências burocráticas
Plataforma Cultural de Almada acusa executivo PS/PSD de inoperabilidade

CULTURA A Plataforma Cultural de Almada exige que a autarquia inicie um diálogo «informado e respeitoso com os agentes no terreno», de modo a elaborar uma «política cultural» para o presente quadriénio.

Na reunião pública da Câmara Municipal de Almada, de 16 de Maio, a plataforma – que reúne a maioria das associações que se dedicam às artes performativas no concelho – acusou o actual executivo (PS/PSD) de «inoperabilidade surpreendente» no que toca à cultura.

Numa comunicação dirigida à presidente da autarquia, Inês de Medeiros, recorda-se, por exemplo, que as «companhias protocoladas (Companhia de Teatro de Almada, Teatro Extremo e Companhia de Dança de Almada) sofreram cortes financeiros injustificáveis que colocam em risco a prossecução do seu trabalho para os próximos quatro anos» e que «os mecanismos de apoio associativo existentes estão bloqueados, através de despropositadas e mesquinhas exigências burocráticas».

A entidade, criada em 2009, dá ainda a conhecer que os «“cachets” da Mostra de Teatro, que decorreu em Novembro, não foram ainda pagos»; a «Linha de Apoio à Actividade Teatral, para este ano, ainda não foi lançada, pondo em causa a actividade de uma vintena de colectivos»; a «organização conjunta da Mostra de Teatro deste ano está suspensa», e a «actividade do Teatro Municipal António Assunção – cuja missão primeira é o desenvolvimento da actividade dos grupos de teatro do concelho, e cuja programação está mandata ao Teatro Extremo – foi asfixiada por via de um sub-financiamento que ignora e desonra um protocolo vigente».

Honrar compromissos
Face à situação, a plataforma insta o executivo para que «honre os compromissos financeiros vigentes entre município e grupos», «atribua condições financeiras e logísticas para que o equipamento Teatro Municipal António Assunção trabalhe condignamente, e assim os grupos que ali são acolhidos», e «pugne por desburocratizar os serviços municipais».

A Plataforma Cultural de Almada é composta pela Academia Almadense, A Lagarto Amarelo, Arte 33, Artes e Engenhos, Associação Manuel da Fonseca, Bela Associação, Cidadão Exemplar, Companhia de Dança de Almada, Ninho de Víboras, O Grito, Oficina de Teatro de Almada, Plateias d'Arte, Incrível Almadense, Teatro de Papel, Teatro Extremo e Teatro UBU.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: