Breves
Deutsche Bank anuncia despedimentos

O Deutsche Bank anunciou, dia 24, em Frankfurt, um novo plano de reestruturação que implica a redução da força de trabalho de 97 mil pessoas para «bem abaixo» das 90 mil.

A maior instituição bancária da Alemanha, onde emprega cerca de 42 mil pessoas, prevê reduzir actividades em todo o mundo e recentrar-se na Europa.

Desde Janeiro, as acções do banco perderam quase um terço do seu valor, depois de ter fechado o ano de 2017 com uma quebra de receitas de 12 por cento e um resultado negativo de 735 milhões de euros.


Marks & Spencer encerra 100 lojas no Reino Unido

A cadeia de distribuição Marks & Spencer revelou, dia 22, que pretende encerrar mais de uma centena de lojas no Reino Unido até 2022, pondo em risco milhares de postos de trabalho.

O grupo, que já fechou 21 lojas em 2016, explica que os encerramentos se inscrevem numa reorientação do negócio para o comércio através da Internet, onde pretende realizar pelo menos um terço das suas vendas.

Em finais de Março o grupo possuía cerca de mil lojas no Reino Unido, das quais 300 grandes superfícies comerciais de alimentação, vestuário e equipamentos domésticos.


Rejeitada acusação de «rebelião» contra Puigdemont

O tribunal Superior de Schleswig Holstein (Norte da Alemanha), a quem cabe decidir sobre o pedido de extradição do ex-presidente do governo catalão, Carles Puigdemont, voltou a recusar, dia 22, a acusação de «rebelião», assim como o seu reingresso na prisão, solicitado pela procuradoria.

A decisão, ainda não definitiva, representa uma derrota para a Justiça espanhola que enviou documentação adicional aos homólogos germânicos para fundamentar o seu pedido.

Puigdemont foi detido na Alemanha a 25 de Março, onde permaneceu 12 dias na prisão até ser libertado sob fiança de 75 mil euros.