Breves
Direitos no El Corte Inglés

O CESP/CGTP-IN saudou «mais uma vitória no respeito pelos direitos de maternidade» na cadeia El Corte Inglés, a qual «tem vindo a recusar os requerimentos para horários flexíveis de trabalhadores com responsabilidades familiares», contrariando mesmo pareceres da Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego. «Em Fevereiro foi ganho mais um processo no Tribunal da Relação» e «a trabalhadora está, finalmente, a praticar o horário que tinha solicitado», refere o sindicato, na edição de Maio do boletim «O Verdadeiro Verde».
Lembrando outros resultados recentes, o CESP alerta que «temos de continuar a intervir e a lutar», desde já participando na manifestação nacional de 9 de Junho.
O sindicato critica aumentos salariais «até 1,5 por cento, com critérios discriminatórios e injustos», bem como a instabilidade de horários, férias e locais de trabalho «para camuflar a falta de trabalhadores».


Reposição nos lanifícios

A partir de 1 de Junho é reposto aos reformados da indústria de lanifícios (actuais e futuros, abrangidos pelo fundo especial de Segurança Social deste sector) o direito à comparticipação a 100 por cento no custo de todos os medicamentos, voltando o pagamento a ser feito nas farmácias, sem necessidade de pedido de reembolso, informou o Sindicato dos Têxteis da Beira Baixa, que promoveu no dia 24 uma reunião sobre este tema, na sua sede, na Covilhã.
A necessária (e insistentemente exigida ao Governo) alteração da Portaria 287/2016 foi publicada na segunda-feira, dia 28.


Greve na Cofaco

Para 4 de Junho, foi convocada greve dos trabalhadores da fábrica de conservas da Cofaco (que detém outras fábricas e a marca Bom Petisco) em Rabo de Peixe, na ilha açoriana de São Miguel. O Sabces/CGTP-IN aponta como objectivos, entre outros, a exigência de melhores salários, valorização das profissões e solidariedade com os mais de 160 camaradas despedidos na fábrica na ilha do Pico.