PCP critica audiência à porta fechada do dono do Facebook

Os deputados do PCP no Parlamento Europeu consideram «deplorável o modelo definido para a audição de Mark Zuckerberg, CEO da empresa Facebook», que se realizou, dia 22, no Parlamento Europeu à porta fechada e com um número muito limitado de deputados.

Em nota de imprensa salientam que «o escândalo do uso indevido de dados recolhidos na rede social Facebook, pela Cambridge Analytica, representa uma prática inadmissível de manipulação da opinião pública que só pode merecer o mais vivo repúdio. Tal prática suscita a necessidade de melhor controlar as multinacionais que operam na área digital e proteger os consumidores e utilizadores relativamente à apropriação dos seus dados pessoais para fins comerciais ou políticos.

«A presença hegemónica de grandes empresas multinacionais, seja ao nível das redes sociais, seja ao nível da prestação de outros serviços diversos, constitui um elemento de preocupação que nos remete para a necessidade premente de uma Internet livre do poder do capital, de um controlo público eficaz que proteja os cidadãos e evite a captura e manipulação da democracia pelas grandes multinacionais das tecnologias de informação», conclui a nota do gabinete dos deputados do PCP.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: