Breves
Venezuela dá caça ao crime económico

As autoridades venezuelanas anunciaram, a semana passada, o desmantelamento de uma rede de roubo e tráfico de medicamentos, leite, fraldas e outros produtos básicos. A estimativa oficial é que os bens apreendidos valham quase 400 milhões de euros. O prejuízo é todavia muito maior, já que, explicou o procurador-geral da República Bolivariana da Venezuela, trata-se de produtos importados com recurso a dólares atribuídos pelo Estado.

Na venezuela decorrem centenas de processos contra açambarcadores, especuladores e traficantes de bens e géneros que, em boa parte por responsabilidade destes, escasseiam nas prateleiras.


Reunião dos G7 acaba em «guerra»

Monarquias e UE seguram Jordânia

A Arábia Saudita, o Kuwait e os Emirados Árabes Unidos anunciaram, segunda-feira, 11, que vão destinar nos próximos cinco anos cerca de 2,1 mil milhões de euros para a Jordânia. No dia anterior foi a UE a prometer um pacote de 20 milhões de euros ao país, imerso numa crise económica e social sem precedente recente, razão pela qual a monarquia negociou com o FMI um programa de assistência financeira.

Contudo, com mais de 18 por cento da população desempregada e cerca de 20 por cento dos a viver baixo do limiar da pobreza, as medidas de contrapartida impostas pelo FMI, designadamente o aumento da tributação dos rendimentos singulares (entre mais 5 e mais 25 por cento) e a redução do limite a partir do qual aqueles são tributados, foram recebidas com revolta. Milhares de jordanos saíram às ruas em protesto nos últimos dias obrigando o rei a demitir o primeiro-ministro e a designar outro chefe de governo, o qual, entretanto, anunciou a suspensão do impopular confisco.


NATO em exercícios e perigosa expansão

Cerca de 18 mil militares e inúmeros meios participam, por estes dias, nas manobras anuais da NATO nos três países do Báltico (Estónia, Lituânia e Letónia) e na Polónia. Os exercícios são participados por 19 países, incluindo Portugal. O facto de serem vistos pela Federação Russa como uma provocação, na medida em que simulam acções ofensivas junto às suas fronteiras, não é novidade. Mas o facto de, pela primeira vez, Israel participar nos «jogos de guerra» na Europa já constituiu uma preocupante novidade.

Entretanto, no passado dia 31 de Maio o presidente cessante Juan Manuel Santos formalizou o acordo de cooperação com a NATO, fazendo da Colômbia o primeiro «parceiro global» da Aliança Atlântica na América Latina e Caribe, o que levantou sérias preocupações da parte da vizinha Venezuela.