Breves
VILA FRANCA DE XIRA
Tribuna pública pelos CTT em Alverca

A Comissão de Freguesia de Alverca promoveu recentemente uma tribuna pública junto à estação dos CTT em Alverca na qual participaram mais de 300 pessoas. Na acção exigiu-se a melhoria da qualidade dos serviços prestados, nomeadamente o reforço do número de carteiros e de trabalhadores na estação. Presente na iniciativa, o deputado e membro do Comité Central, Bruno Dias, relacionou a degradação do serviço prestado com a privatização da empresa, realçando que só a recuperação do controlo público dos CTT poderá garantir a inversão deste ciclo. Estiveram também presentes Carlos Gonçalves, presidente da União de Freguesias de Alverca do Ribatejo e Sobralinho, e Regina Janeiro, vereadora do PCP, que apelaram à população para prosseguir a luta pelas justas exigências ali apresentadas.


AVEIRO
PCP denuncia exploração na Simoldes

Militantes do PCP estiveram recentemente junto a várias empresas do Grupo Simoldes, no distrito de Aveiro, a distribuir aos trabalhadores um documento que denunciava alguns dos problemas que estes enfrentam no quotidiano e apelava ao reforço da sua unidade e luta. Neste grupo, que investe milhões na sua expansão e tem um «enorme volume de vendas», recorre-se a empresas de aluguer de mão-de-obra para contratar trabalhadores: «Quem aqui trabalha com vínculos precários mas ocupa postos de trabalho permanentes a única certeza que tem é a incerteza quanto ao seu futuro, apesar deste grande grupo que é a Simoldes ter um futuro bem claro e próspero», realça o Partido na nota de imprensa em que divulga esta acção. Também a imposição dos bancos de horas, «que não passam de um depósito de horas de trabalho não remunerado», é uma realidade. Quem recusa é ameaçado, denuncia-se.


AÇORES
Propostas para desenvolver São Miguel

O deputado do PCP no Parlamento Europeu Miguel Viegas esteve recentemente em Ponta Delgada onde participou, acompanhado dos dirigentes regionais do Partido Vítor Silva, Martinho Batista e Cátia Benedetti, em reuniões com a Câmara de Comércio e Industria de Ponta Delgada com o secretário-adjunto da Presidência para as Relações Externas. No centro da agenda estiveram as questões do desenvolvimento da região e o próximo quadro financeiro plurianual da União Europeia. Nos Açores, os fundos estruturais representam cerca de 20 por cento de todo o orçamento, pelo que os cortes já anunciados pela Comissão Europeia (CE) na coesão e na política agrícola poderão ter ali graves consequências. Além dos cortes, a CE cria também novos instrumentos visando limitar a capacidade de decisão dos estados e regiões para determinar onde e como investir.