Agricultores exigem defesa da produção nacional
Agricultores bloqueiam refinarias em França

IMPORTAÇÕES As principais organizações de agricultores em França iniciaram, no domingo, 10, um movimento de protesto em defesa da produção nacional e contra as importações desnecessárias.

O protesto, promovido pela Federação Nacional de Sindicatos de Exploradores Agrícolas (FNSEA) e pelos «Jovens Agricultores», visa forçar o governo a reverter a autorização dada à petrolífera Total para importar massivamente óleo de palma para produzir biocombustíveis.

A FNSEA, principal organização de agricultores em França, pretende bloquear várias refinarias e depósitos de combustíveis em todo o país.

Em declarações à imprensa, Christiane Lambert, presidente da FNSEA, afirmou que o óleo de palma foi a gota que fez transbordar o copo, já que há outros constrangimentos relacionados com acordos internacionais de comércio que colocam os agricultores sob pressão de uma concorrência injusta.

Os agricultores franceses que têm de respeitar «regras cada vez mais rigorosas e, ao mesmo tempo, as fronteiras estão bem abertas» para produtos que não estão sujeitos às mesmas regras.

A refinaria da Total em La Mède, perto de Marselha (Sudeste), cujo acesso foi bloqueado simbolicamente pelos agricultores, está em processo de reconversão depois de ter deixado de tratar petróleo bruto em 2016, para se tornar na «primeira bio-refinaria de dimensão mundial».

Em 16 de Maio, a Total recebeu autorização do governo para produzir 500 mil toneladas anuais de biodiesel, recorrendo massivamente a óleo de palma importado, mais barato do que o óleo de colza produzido em França.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: