Todos são necessários para construir mais uma Festa do Avante!
Jornadas da Festa arrancam com a promessa de novidades

MILITÂNCIA As jornadas de trabalho para a construção da Festa do Avante! começam já no próximo sábado, 16. Este ano há alterações no zonamento e algumas novidades, que damos a conhecer.

Limpeza do terreno, corte do manto vegetal, montagem de estruturas e pinturas são algumas das tarefas que esperam os participantes na primeira jornada de trabalho, muitas das quais a exigirem o contributo especializado de pedreiros, serralheiros ou electricistas. As necessidades, porém, são imensas e todos fazem falta. Na edição da Festa do Avante! que começa agora a ser erguida todos os pavilhões e restaurantes das organizações regionais do PCP mudam de local, assim como alguns palcos e outros espaços.

Permanecendo na Quinta do Cabo, junto à entrada da Festa, o Espaço Central é um dos que muda de localização, passando para uma zona que permite uma melhor panorâmica sobre Lisboa, o Tejo e a baía do Seixal. No outro extremo do terreno, perto da entrada da Medideira, fica o Espaço Internacional, que passa a estender-se até ao início da avenida, o que criará melhores condições para o pleno usufruto do muito que ali há para conhecer e provar.

A Festa de 2018 trará ainda os regressos do Espaço Ciência à zona do lago, onde esteve durante anos, e do Palco Arraial à Quinta da Atalaia, no lado oposto da avenida em que se encontrava antes da sua transferência para a Quinta do Cabo.

Este ano, a Festa continua a crescer, com parte do espaço que nos dois anos anteriores esteve ocupado pelo Acampamento A a ser integrado na Festa, criando uma nova circulação. Quanto ao acampamento de apoio à construção e funcionamento da Festa passa a funcionar no Acampamento B, junto ao lago, que terá o seu espaço uma vez mais alargado a terrenos adjacentes. Esta alteração exigiu novas infra-estruturas de água e energia.

Nos últimos meses foram realizadas outras intervenções de manutenção e conservação do terreno e de equipamentos, que na sua maioria não são visíveis, pois incidem sobre infra-estruturas de água, esgotos ou electricidade. Outras serão notadas e sobretudo usufruídas, como são os casos da melhoria da iluminação pública, da criação de novos equipamentos (como mesas e banco), da plantação de dezenas de novas árvores e da conclusão do alcatroamento dos arruamentos da Quinta do Cabo. Algumas destas obras serão concluídas durante as jornadas de trabalho.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: