Dia do Pastor comemorado em Chaves

A Associação dos Agricultores e Pastores do Norte promoveu no passado dia 10, na freguesia de Valdanta (Chaves), uma iniciativa comemorativa do Dia do Pastor. As comemorações envolveram cerca de duas centenas de pastores da região do Alto Tâmega e constaram de diversas actividades, entre concursos e actuações musicais.

Armando Carvalho, dirigente da Confederação Nacional da Agricultura/CNA, fez uma intervenção na qual evidenciou o simbolismo que envolve a actividade milenar da pastorícia, cujas primeiras referências remontam ao período neolítico, entre oito a 10 mil anos antes de Cristo, e que moldou a paisagem humana. Apesar disto, denunciou, esta actividade e quantos a praticam têm sido ostracizados pela União Europeia e por sucessivos governos.

A redução da área de pastoreio para encabeçamento dos animais; o aumento brutal dos custos inerentes à sanidade animal; a não elegibilidade dos pequenos ruminantes para efeito de candidaturas ao PDR 2020; a dificuldade de venda de pequenos cordeiros e cabritos a preços compensadores; as mortes de animais causadas pelo uso excessivo de herbicidas ou provocadas por cães assilvestrados foram questões colocadas por Armando Carvalho. Também se denunciou a proposta de reforma da PAC, garantindo-se que a CNA e suas associadas encontrarão as formas de luta mais adequadas para combater as medidas previstas.

Foi ainda abordada a recente decisão do Conselho de Ministros sobre o Estatuto da Agricultura Familiar, reclamado pela CNA no seu VII Congresso, realizado em 2014. A direcção da APT, em nota de segunda-feira, 11, afirma-se atenta ao desenrolar do processo legislativo e espera não ter, no futuro, «que dizer sobre este diploma que “a montanha pariu um rato”».

Estiveram também presentes na comemoração do Dia do Pastor o presidente da Junta de Freguesia de Valdanta e a vereadora do município Paula Chaves, que proferiu uma breve saudação ao encontro.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: