Breves
ONU procura ajuda para palestinianos

O Secretário-geral da ONU apelou à comunidade internacional para auxiliar financeiramente a Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinianos (Unrwa). Em Nova Iorque, António Guterres destacou o trabalho da agência para satisfazer as necessidades humanitárias de milhões de refugiados palestinianos na Cisjordânia, Gaza, Jordânia, Líbano e Síria. Essa actividade proporciona uma base de esperança e dignidade e funciona como um mecanismo de prevenção de conflitos numa região turbulenta. A ajuda em alimentos, saúde e educação a milhões de refugiados palestinianos está em risco devido aos cortes financeiros dos Estados Unidos à Unrwa.


Partidos congoleses baixam para metade

A lista das organizações políticas na República Democrática do Congo, tendo em vista as eleições marcadas para 23 de Dezembro, reduziu-se quase para metade, confirmou em Kinshasa o presidente da Comissão Eleitoral Nacional Independente, Corneille Nangaa. «Actualmente, contamos com 320 partidos e outros 56 grupos políticos», anunciou o responsável, lembrando que a última contagem apontava para cerca de 600 partidos. Na RDC, no seguimento do Acordo de S. Silvestre, de 31 de Dezembro de 2016, entre o governo e a oposição, com mediação da Igreja Católica congolesa, continuam os preparativos para as eleições gerais.


Cooperação Sul-Sul entre a Índia e Cuba

A recente visita a Cuba do presidente da Índia, Ram Nath Kovind, é descrita por jornais em Nova Delhi como um exemplo de cooperação Sul-Sul. «Temos relações muito fortes, cordiais e amistosas com Cuba, ambos somos membros fundadores do Movimento dos Países Não Alinhados», favorecendo a cooperação Sul-Sul, afirmou uma alta responsável do ministério indiano dos Negócios Estrangeiros. Durante a visita a Cuba, Kovind homenageou Fidel Castro e lembrou que ele foi um bom amigo da Índia e deu dignidade e força aos países em desenvolvimento no plano internacional.


EUA suspendem manobras com Seul

O Pentágono anunciou a suspensão «indefinida» de exercícios militares conjuntos com a Coreia do Sul, no seguimento da cimeira de 12 de Junho em Singapura entre os presidentes Donald Trump e Kim Jong-Un. Mas condicionou esse gesto a que Pyongyang mantenha «negociações produtivas» sobre o desmantelamento do seu programa nuclear. A decisão de suspender as manobras militares, que os norte-coreanos qualificam de «provocações», foi anunciada em Washington depois de uma reunião, no dia 22, entre o secretário de Estado, Mike Pompeo, o chefe do estado-maior das forças armadas, general Joe Dunford, e o assessor de segurança na Casa Branca, John Bolton.


Erdogan reeleito presidente da Turquia

O chefe do Estado da Turquia, Recep Erdogan, há década e meia no poder, foi reeleito à primeira volta, para um mandato de cinco anos, agora com poderes reforçados, nas eleições presidenciais e legislativas realizadas no domingo, 24. «O vencedor desta eleição é a democracia», afirmou o presidente em Ankara, perante apoiantes, na sede do seu partido, o AKP, islâmico e conservador. Erdogan conquistou 52,5% dos eleitores e a aliança liderada pelo AKP obteve 53,6%. O seu principal opositor, Muharrem Ince, alcançou 30,7% nas presidenciais. Uma aliança de partidos da oposição recolheu, nas legislativas, 34% dos votos.


Negociações de paz para o Sudão do Sul

Têm decorrido, primeiro em Adis-Abeba, na Etiópia, e depois em Cartum, no Sudão, conversações entre o presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, e o seu antigo vice-presidente e depois o maior rival, Riek Machar. Por iniciativa dos dirigentes dos estados vizinhos, procura-se uma solução que ponha fim à guerra civil sul-sudanesa.

Kiir e Machar entraram em choque em 2013 e lançaram o jovem país numa sangrenta guerra que já provocou centenas de milhares de mortos e quatro milhões de refugiados, além de causar uma situação económica catastrófica, apesar do Sudão do Sul ser rico em petróleo.