Ferroviários conquistaram acordo

Na véspera das greves marcadas para o fim-de-semana (dias 23 e 24), contra o «agente único» como regra na circulação ferroviária, foi alcançado um acordo entre as organizações sindicais que convocaram mais esta jornada (a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações e o SNTSF, da CGTP-IN, e também a Assifeco, o Sinafe, o Sinfa e o SFRCI) e o secretário de Estado das Infra-estruturas.

No imediato e para o futuro, nas linhas exploradas pela CP e pelas demais empresas de transporte ferroviário, bem como nos novos contratos de concessão, ficou assumido que: a segurança é a questão nuclear; a regra nos comboios é uma tripulação mínima de dois trabalhadores (maquinista e agente de acompanhamento com certificação); qualquer decisão para admitir o regime de «agente único» será avaliada caso a caso pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes.

Para as organizações sindicais, este acordo (publicado no site da Fectrans) «é fruto da luta e unidade dos trabalhadores ferroviários, de todas as categorias profissionais» e representa «mais um importante passo na defesa da segurança ferroviária».

Em consequência do acordo, foram suspensas as greves anunciadas e a CP comprometeu-se a não aplicar procedimentos disciplinares decorrentes das greves anteriores.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: