Breves
PORTO
Fundos e imprensa são tarefas partidárias essenciais

O Centro de Trabalho da Boavista, no Porto, acolheu recentemente o 9.º convívio anual de quadros do Partido com tarefas de fundos e difusores do Avante!, assumindo-se uma vez mais como um momento de partilha de experiências e renovação de forças para esta importante tarefa dos militantes comunistas. O encontro revestiu-se de enorme importância, poucos meses após a XII Assembleia da Organização Regional do Porto do PCP, que entre outras conclusões, apontou o aumento da capacidade financeira do Partido e da difusão da imprensa partidária como elementos fundamentais para o reforço do Partido na região.

Coube a Anabela Mota, do Secretariado da Direcção da Organização Regional do Porto do PCP, fazer o balanço do trabalho realizado e afirmar as medidas e objectivos necessários para o reforço do Partido, indispensável para a capacidade de intervenção e ligação aos trabalhadores e à população do distrito do Porto. José Capucho, do Secretariado do Comité Central, encerrou a sessão, saudando a iniciativa e enquadrando-a nos objectivos mais gerais de reforço do Partido, da importância da independência financeira para garantir a independência ideológica e do papel do Avante! no esclarecimento e divulgação da luta dos trabalhadores e do povo português.


SESIMBRA
Governo quer população fora da área do Hospital do Seixal

Numa nota do Executivo da Comissão Concelhia de Sesimbra, o PCP acusa o Governo do PS de querer «excluir as populações do concelho» da área de influência do novo Hospital no Seixal. Esta exclusão está expressa na proposta de adenda ao Acordo Estratégico de Colaboração entre o Estado Português e o Município do Seixal para a construção do novo Hospital, apresentada pelo Governo. Prevê ainda a eliminação de 10 das 23 valências que estavam previstas para o novo equipamento no acordo assinado em 2009.

Estas intenções expressas pelo Governo do PS merecem do PCP o «maior repúdio», desde logo porque as populações do concelho de Sesimbra são já «bastante afectadas pelo desinvestimento no Serviço Nacional de Saúde, existindo lacunas graves em todo o concelho no que toca ao direito à prestação de cuidados de saúde»: há falta de médicos e enfermeiros de família para dezenas de milhares de pessoas, os horários dos Centros de Saúde são «claramente insuficientes» e é urgente a construção de um novo Centro de Saúde na Quinta do Conde. Nesta freguesia vivem mais de 30 mil pessoas, que entre as 20 e as 8 horas não têm qualquer serviço de saúde à sua disposição.

Valorizando as posições já expressas pela câmara e assembleia municipais, o PCP apela aos sesimbrenses para que façam ouvir a sua voz pela inclusão do concelho no novo hospital.