Breves
Milhares manifestam-se em Berlim contra política xenófoba

Milhares de pessoas manifestaram-se, dia 7, em Berlim e noutras cidades alemãs contra a criminalização das organizações humanitárias que socorrem migrantes do Mediterrâneo e a favor da criação de rotas seguras para a Europa.

Os manifestantes percorreram as ruas do centro de Berlim, muitos deles envergando coletes salva-vidas. O protesto estendeu-se às ruas de Hanover, Bremen, Heidelberg e Zwickau.

As marchas foram convocadas pela plataforma internacional Seebrücke, criada depois de o navio da organização não-governamental alemã «Lifeline» ter sido obrigado a aguardar seis dias em águas internacionais com 230 pessoas a bordo até receber autorização para atracar num porto em Malta.


Um em cada sete morreu na travessia do Mediterrâneo

Uma em cada sete pessoas perdeu a vida ao tentar atravessar o Mediterrâneo, no mês de Junho, segundo dados revelados, dia 6, pelo Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

Segundo o porta-voz da organização, Charlie Yaxley, a taxa de mortalidade de migrantes que tentam atravessar o Mediterrâneo aumentou este ano, apesar da significativa diminuição do fluxo migratório para a Europa.


Cimeira da NATO contestada em Bruxelas

Sob o lema «Trump não és bem-vindo. Façamos a paz grande outra vez», milhares de pessoas manifestaram-se, dia 7, em Bruxelas contra a cimeira da NATO, iniciada ontem, quarta-feira, 11, na capital da Bélgica, com a presença do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

A acção, prosseguida no dia seguinte com um ciclo de conferências, foi promovida por várias organizações e movimentos sociais, para contestar a «militarização de uma política internacional» que «exclui as pessoas».