Diálogo em Pyongyang com sinais contraditórios

O diálogo entre delegações de alto nível da República Popular Democrática da Coreia (RPDC) e dos Estados Unidos (EUA) foi «profundo e sincero», assegurou a Agência Central de Notícias da Coreia, citada pela Prensa Latina, no domingo, 8, a partir de Pyongyang.

Nas conversações «discutiram-se profundamente os problemas relativos à implementação da declaração conjunta aprovada e publicada na histórica cimeira entre os dois países», em Singapura, escreveu a agência.

A reunião teve lugar nos dias 6 e 7 em Pyongyang. A delegação estado-unidense foi encabeçada pelo secretário de Estado, Mike Pompeo, e a da RPDC foi liderada pelo vice-presidente do Partido do Trabalho da Coreia, Kim Yong-Choi.

A agência norte-coreana tinha referido antes palavras de um porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros classificando a atitude dos EUA de «totalmente reprovável» e as suas exigências de desnuclearização unilateral «próprias de um assalto à mão armada».

Mas, para Mike Pompeo, a sua terceira visita à RPDC foi um êxito, a julgar pelas declarações aos jornalistas: «Estamos a progredir em quase todos os temas centrais. Em alguns aspectos há grandes progressos e noutros falta ainda trabalho».

O secretário de Estado, até há pouco director da CIA, seguiu de Pyongyang para Tóquio, onde informou os ministros dos Negócios Estrangeiros do Japão e da Coreia do Sul sobre os resultados das conversações com as autoridades norte-coreanas.

Visitou depois, durante dois dias, o Vietname, «para estreitar as relações bilaterais e dialogar sobre a situação em geral na Ásia». As relações entre os EUA e o Vietname atravessam um bom momento, comprovadas pelas trocas comerciais entre os dois países, que atingiram em 2017 os 51 mil milhões de dólares.

Tratou-se da primeira visita de Mike Pompeo ao Vietname.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: