Piquenicão de Setúbal afirma direitos dos reformados

Mais de mil pessoas – muitos reformados, pensionistas e idosos – participaram, domingo, 8, no 17.º Piquenicão Distrital de Setúbal do MURPI.

Além da actuação de 26 associações do distrito, o piquenicão contou com um período de intervenções políticas. Casimiro Menezes, presidente da Confederação, destacou a «luta justa» que levou ao reconhecimento do MURPI como parceiro social.

«Conseguimos que o presidente do Conselho Económico e Social (Correia de Campos) recuasse na sua proposta inicial e viesse a propor que o MURPI passe a ter um lugar como parceiro social no CES», afirmou, frisando: «Finalmente o MURPI conquistou um lugar onde dará voz aos problemas dos reformados e pensionistas».

Na sua intervenção, Casimiro Menezes alertou ainda para as «dificuldades sentidas pela maioria dos reformados», que «vêem as suas condições de vida a degradar-se, apesar do aumento de seis ou 10 euros que iremos ter em Agosto, fruto da luta do MURPI». «Sentimos a degradação da prestação pública dos serviços de saúde com as dificuldades no acesso aos cuidados de saúde que condenam os reformados à procura de cuidados privados para resolverem os seus problemas de saúde», apontou.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: