Breves
México e EUA são «vizinhos e amigos»

O presidente eleito mexicano, López Obrador, entregou ao secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, uma proposta de relações bilaterais, que inclui temas como comércio, migração, segurança e desenvolvimento. No final de uma visita à cidade do México, durante a qual se reuniu com o presidente cessante, Peña Nieto, e com López Obrador e sua equipa, Pompeo declarou que os EUA e o México são «vizinhos, parceiros e amigos». Washington, acrescentou, espera estabelecer uma agenda conjunta com o novo governo mexicano centrada no comércio, segurança e assuntos migratórios.


Etiópia e Eritreia estreitam relações

O presidente da Eritreia, Isaias Afwerki, visitou a Etiópia para reforçar o processo de normalização entre os dois estados, iniciado pelo primeiro-ministro reformista etíope Abiy Ahmed, que se deslocara na semana passada a Asmara. Os representantes dos países vizinhos assinaram uma declaração de paz e concordaram em retomar os laços diplomáticos e económicos. A Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento da África Oriental (IGAD), que reúne Sudão, Etiópia, Djibuti, Quénia, Uganda, Somália e Sudão do Sul, saudou a reaproximação e já convidou a Eritreia a fazer parte da comunidade leste-africana e a trabalhar pela paz e a integração económica.


Nos Camarões, Biya candidata-se

O presidente camaronês, Paul Biya, de 85 anos, 36 dos quais no poder, anunciou a candidatura a um sétimo mandato, nas eleições de 7 de Outubro. Além deste «candidato natural» do Partido Democrático do Povo Camaronês, concorrem, entre outros, Joshua Osih, da Frente Social Democrática, Maurice Kamto, do Movimento para o Renascimento dos Camarões, e Akere Muna, antigo dirigente da Transparência Internacional. O país vive um clima tenso, com a ameaça do Boko Haram no norte e a crise na zona anglófona, no sudoeste, onde separatistas armados e o exército se confrontam desde finais de 2017.


Xi Jinping visita Emiratos e África

O presidente da China, Xi Jinping, iniciou uma viagem que o levará aos Emiratos Árabes Unidos, Senegal, Ruanda, Maurícias e África do Sul. Neste país, assistirá, de 25 a 27, à 10.ª cimeira dos BRICS, grupo de economias emergentes integrado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Pequim espera que este périplo impulsione o «desenvolvimento de laços mais estreitos e o fortalecimento da solidariedade» entre a China e os países visitados. A situação internacional e as «ameaças ao multilateralismo» também estarão no centro da agenda. Em Setembro, realiza-se em Pequim um Fórum de Cooperação África-China.


Vietname evoca guerra com EUA

Cerca de 120 documentos sobre a guerra de agressão dos EUA ao Vietname, nos anos 60 e 70 do século XX, foram expostos no Museu de Hanói. A exposição, intitulada «Conversações de Paris, o caminho da paz», mostra peças dos mandatos dos presidentes norte-americanos Richard Nixon, Lyndon B. Johnson e Gerald Ford. As negociações para uma saída pacífica para a guerra começaram em 1968 mas só em Janeiro de 1973 foi alcançado um acordo, depois de sucessivas derrotas das tropas estado-unidenses que forçaram Nixon a assinar a paz, quando a vitória do heróico povo vietnamita era já inevitável. O acordo abriu caminho à libertação do sul do Vietname e à reunificação do país, em Abril de 1975.


Delegação da ONU na Coreia do Norte

O subsecretário-geral da Organização das Nações Unidas para Assuntos Humanitários, Mark Lowcock, à frente de uma delegação, efectuou uma visita de trabalho à República Popular Democrática da Coreia. Manteve contactos com trabalhadores humanitários e cidadãos coreanos que recebem ajuda por intermédio de entidades do sistema da ONU radicadas no país. Contam-se entre essas entidades o Programa para o Desenvolvimento (PNUD), a Agência para os Refugiados (ACNUR), o Fundo para a Infância (UNICEF) e o Programa Mundial de Alimentos (PMA).