O hospital deixará de incluir dez especialidades
O hospital do Seixal tem mesmo de avançar!

REIVINDICAÇÃO A Câmara do Seixal exorta a Governo a construir, de forma «urgente, prioritária e participada» o hospital no concelho, «com uma visão de futuro» e de «expansão».

Numa tomada de posição aprovada no dia 11, intitulada «O hospital do Seixal tem mesmo de avançar!», a autarquia lembra que no dia 29 de Junho foi assinada uma adenda ao Acordo Estratégico de Colaboração para o Lançamento do Hospital do Seixal, entre a Câmara Municipal e a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS-LVT), com a presença do ministro da Saúde.

Com esta assinatura concluíram-se todos os procedimentos necessários para a abertura do concurso público internacional para os projectos do futuro hospital, fase à qual se seguirá o concurso para a obra em concreto.

A autarquia – com um maior investimento a seu cargo – ficará com a responsabilidade da execução de todas as acessibilidades e infra-estruturas do novo hospital.

«Com esta adenda o hospital deixará de incluir dez especialidades que constavam do Acordo de 2009 (assinado com o governo), deixando de estar contempladas 12 camas para cuidados paliativos e o concelho de Sesimbra fica fora da área de influência do hospital», critica a Câmara do Seixal, que promete tudo fazer para que «o hospital seja construído num curto espaço de tempo» e «as populações acedam aos cuidados de saúde de forma mais qualificada».

«O facto de se prever a construção de um hospital modelar, com margem de expansão, será um caminho de futuro», acredita a autarquia.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: