Governo e CP insistem em afastar passageiros da Linha do Oeste
Redução de comboios na Linha do Oeste leva utentes a Lisboa

ACÇÃO A Comissão para a Defesa da Linha do Oeste promove, hoje, dia 26, às 11h00, uma concentração junto ao Ministério do Planeamento e Infraestruturas, contra a redução dos horários dos comboios a partir de 5 de Agosto.

Os novos horários que a CP se prepara para pôr em vigor e que o Governo, através do Ministério do Planeamento e Infraestruturas, deu aval «irão contribuir decisivamente para que o número de passageiros neste eixo diminua significativamente», adverte a CPDLO.

Segundo os utentes, a partir de 5 de Agosto os comboios inter-regional, entre as Caldas da Rainha e Coimbra, são totalmente suprimidos; as ligações a Norte das Caldas da Rainha serão particularmente afectadas, num e noutro sentido; os dois primeiros comboios, da parte da manhã, no sentido de Lisboa, passarão a ter um intervalo entre si de quase seis horas.

A CP vai ainda reduzir o número de composições a diesel e a utilização das mesmas, encurtando o percurso. Para Norte, o comboio só circulará até à estação da Amieira, onde os passageiros terão de fazer transbordo para outro comboio, em direcção a Coimbra ou às Caldas da Rainha. O tempo desta viagem aumentará, para além do incómodo de mais um transbordo.

Para a CPDLO, estas alterações «não irão evitar a supressão de ligações, porque continuará a existir falta de material circulante para compensar avarias e manutenções». «O Governo e a CP, ao invés de tomarem medidas imediatas para repor o material circulante em falta, assegurando a viabilidade da Linha, com elevada procura por parte dos passageiros, “resolvem” o problema afastando os utentes que serão obrigados a encontrar alternativas de transporte», acusam os utentes.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: