Número de vítimas dos incêndios na Grécia continua a aumentar

O número de mortos nos incêndios que assolaram a costa de Atenas, na Grécia, no início da semana passada, subiu para 88, segundo um novo balanço divulgado, no sábado, 28, pelo governo grego.

A mesma fonte informou ainda que 48 pessoas estão hospitalizadas, nove das quais em estado crítico. Até agora não existe uma lista oficial de pessoas desaparecidas, o que só será feito após a identificação de todos os corpos encontrados.

As autoridades inspeccionaram 3505 casas ardidas, das quais 998 foram declaradas em ruínas e 794 temporariamente inabitáveis.

O governo grego divulgou, dia 26, uma série de imagens de satélite que apresentam indícios de mão criminosa nas ignições. O ministro da Proteção ao Cidadão declarou que não se trata apenas de «sinais», há «evidências» e testemunhos que sustentam esta hipótese.

As fotos e os vídeos dos satélites mostram que em menos de meia hora surgiram 13 focos de incêndio, todos alinhados paralelamente à estrada.

O governo grego pediu ajuda internacional, tendo alguns países respondido com meios de apoio, entre os quais Portugal, que disponibilizou 50 elementos da Força Especial de Bombeiros (FEB) para ajudar a combater os incêndios no país helénico.

O Secretariado do Comité Central do PCP enviou uma carta ao Partido Comunista da Grécia onde expressou as mais sentidas condolências e profunda solidariedade dos comunistas portugueses para com o povo grego, perante os devastadores incêndios que ocorrem neste País, provocando dezenas de vítimas e destruição.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: