Factor estratégico para a mobilidade das populações
Seixal reclama um melhor e mais barato transporte público ferroviário

TRANSPORTES A Câmara Municipal do Seixal aprovou, dia 25 de Julho, uma tomada de posição pelo fim da concessão do transporte ferroviário à Fertagus e a sua integração na CP.

A autarquia entende que os transportes públicos são um factor estratégico para a mobilidade das populações e para o desenvolvimento económico dos concelhos e que a população do concelho do Seixal, como todos os outros que habitam na Área Metropolitana de Lisboa, se confronta com problemas estruturais, reflectidos numa insuficiente oferta de transportes com um custo muito elevado.

A este propósito, Joaquim Santos, presidente da Câmara Municipal, referiu que «actualmente temos um serviço ferroviário que se efectua com comboios públicos, a circular em linhas públicas e utiliza estações públicas, mas que depois é explorado por um operador privado, em que o Estado assume os custos, a Fertagus recebe as receitas e ainda se recusa a pagar às Infra-estruturas de Portugal a taxa de circulação devida».

«Com o terminar do contrato de concessão à Fertagus em 2019 da exploração comercial da ligação ferroviária entre Lisboa e Setúbal pela Ponte 25 de Abril está aberta uma oportunidade de terminar com esta experiência, integrando este serviço na CP», defendeu.

Joaquim Santos referiu, ainda, que «com a integração deste serviço ferroviário na CP, ganha o País, que vê reduzida a apropriação de recursos públicos em favor de grupos privados; ganham os utentes, pois passam a pagar menos, a ter acesso ao passe intermodal e ao estacionamento gratuito junto às estações; ganham os trabalhadores da Fertagus que, ao serem integrados na CP e na EMEF, melhoram as suas condições de trabalho, rendimento e direitos».

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: