Os avanços registados resultam da determinação do PCP
Luta e acção possibilitam aumento das pensões

PCP No mês de Agosto as pensões até 643,35 euros, pelo segundo ano consecutivo, vão ter – para além do aumento geral – uma valorização extraordinária entre seis e 10 euros.

O aumento extraordinário – conseguido com a luta dos reformados, pensionistas e idosos e a acção do PCP – corresponde a um montante que, somando ao valor da actualização que se verificou em Janeiro, atingirá os seis e os 10 euros, consoante tenha existido ou não a actualização da pensão entre 2011 e 2015.

«Os avanços registados resultam da determinação do PCP para repor o poder de compra das reformas e pensões, confiscado pelo anterior governo PSD/CDS», lê-se num documento do Partido que está a ser distribuído em todo o País.

O PCP quer mais e reclama um aumento extraordinário de 10 euros para todas as reformas, a partir de Janeiro de cada ano, uma proposta que o Executivo PS recusou. «A acção do PCP foi determinante para que o aumento das pensões não se confine ao descongelamento do mecanismo de actualização anual, como pretendia o Governo minoritário do PS e o BE», informam os comunistas.

Em 2018 é ainda reposto o pagamento por inteiro do subsídio de Natal. Ou seja, no final do ano, todos os reformados vão receber mais uma pensão por inteiro, o 14.º mês da pensão, o que representa a concretização da reposição de um direito posto em causa pelo anterior governo PSD/CDS, que pretendeu ocultar a amplitude dos cortes nos valores das pensões e criar condições para acabar com tal direito.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: