Breves
Utentes exigem respostas

Os utentes do Litoral Alentejano continuam à espera de uma reunião, já solicitada e com carácter de urgência, aos ministros da Saúde e das Finanças com o objectivo de resolver os problemas que afectam, há tantos anos, os serviços de saúde na região.

Na Assembleia Municipal de Santiago do Cacém, de 18 de Maio, foi aprovada por unanimidade, uma resolução, elaborada pelos utentes, onde se reivindica – para além da reunião com os membros do Governo – um médico pediatra de apoio ao Serviço de Atendimento à Criança Doente, 24 horas/todos os dias; a admissão imediata de enfermeiros, médicos, assistentes operacionais e assistentes técnicos; o restabelecimento da totalidade de vagas dos vários serviços do Hospital do Litoral Alentejano.

Exige-se, também, a criação de condições para o cumprimento dos tempos máximos de resposta nas consultas, cirurgias e exames complementares de diagnóstico das várias especialidades; a construção do centro de saúde de Santiago do Cacém; a beneficiação da Extensão de Saúde de Vila Nova de Santo André.


«Voz da Terra» em Coimbra

Dirigentes da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) distribuíram, dia 7 de Agosto, na Feira dos 7, em Coimbra, a «Voz da Terra», a revista dos agricultores.


Valorizar Évora

A Câmara Municipal de Évora adjudicou, recentemente, uma empreitada de conservação dos chafarizes do Rossio de S. Brás, de Alconchel e do Largo dos Mercados. Os trabalhos têm um prazo previsto de quatro meses e um custo de mais de 70 mil euros.


Pelo fim das portagens na A23 e na Via do Infante

PS e PSD chumbaram, dia 18 de Julho, dois projectos de resolução do PCP recomendando o fim das portagens na A23 (autoestrada da Beira Interior) e na Via do Infante. Além da eliminação das portagens, instava-se o Governo a diligenciar no sentido da reversão para o Estado dos contratos das PPP naquela autoestrada do Algarve e da EN125. Sobre esta última, sugeria-se ainda a «rápida conclusão» das obras de requalificação de que tem sido alvo, incluindo as variantes e as estradas de acesso e ligação.

Recorde-se que a introdução de portagens em 2010 em todas as SCUT por um governo PS, depois concretizada na Via do Infante em 2011 por um governo PSD/CDS, além dos custos económicos e sociais, significou um «insuportável sacrifício em vidas humanas».

Não menos negativas para as populações e para o tecido económico das regiões que atravessa é o caso da A23, que representa uma «dupla discriminação das regiões do interior», como salienta no seu texto a bancada comunista.

Acresce, ainda, a inexistência de alternativas, já que em diversos troços a A23 foi construída sobre os anteriores itinerários, em outros obriga à circulação pelo interior das localidades, em outros ainda «obriga a circular em estradas quase intransitáveis».


Mosteiro de Lorvão

Aprovado pela AR na última sessão plenária antes das férias, por unanimidade, foi também uma resolução sobre o Mosteiro de Lorvão, em Penacova, no distrito de Coimbra.

Resultado de um projecto de resolução do PCP para a «musealização e pleno funcionamento do Museu do Mosteiro do Lorvão» e de uma iniciativa similar do PSD para a «valorização e promoção» do mesmo, o texto final, apresentado pela Comissão de Cultura, Comunicação, Juventude

e Desporto, recomenda ao Governo a «abertura ao público em pleno do Museu do Mosteiro do Lorvão», devidamente dotado dos «meios técnicos, materiais e humanos necessários», e a concretização do projecto de musealização.