Breves
Almada
PCP questiona Governo sobre ELI

O PCP questionou o Governo sobre a carência de profissionais na Equipa Local de Intervenção (ELI) de Almada do Sistema Nacional de Intervenção Precoce na Infância. «Por que razão não houve qualquer resposta ao pedido da ELI de reforço de meios humanos?», indagou o Grupo Parlamentar comunista em pergunta ao Executivo, a quem pede que esclareça ainda que medidas pensa adoptar no sentido do reforço do número de profissionais para que dessa forma seja dada «resposta adequada às crianças sinalizadas» para acompanhamento, pondo fim à lista de espera existente.

A ELI de Almada é constituída por 18 elementos e acompanha cerca de 300 crianças, mas há cerca de 60 outras em lista de espera (tendência que tem vindo a aumentar). Em recente encontro com o PCP, em que esteve a deputada Paula Santos, os elementos da ELI transmitiram essa exigência de mais meios humanos e estabilidade da equipa.


Maia
Convívio de Verão divulga Festa do Avante!

Realizou-se no dia 4 de Agosto, nos jardins da Casa do Alto em Pedrouços, o convívio de Verão para divulgação e promoção da Festa do Avante!. A iniciativa contou com cerca de meia centena de camaradas e amigos e incluiu um momento cultural com música e declamação de poemas. O convívio contou ainda com a presença de Belmiro Magalhães, membro do Comité Central e da DORP, que destacou o carácter único das iniciativas do PCP, realizadas sempre com o contributo dos seus militantes e amigos. Reafirmou ainda a importância de preparar e promover a Festa do Avante!, enquanto evento político e cultural de massas que abre as portas do Partido a todos os que o queiram conhecer, ao seu projecto, às suas propostas e ao seu ideal.


Madeira
Por pensões mais dignas e uma vida melhor

Numa iniciativa política sobre os direitos dos reformados, pensionistas e idosos, realizada no dia 8, no Funchal, pelo PCP/Madeira, Leonel Nunes afirmou que a luta pelos direitos destas pessoas «é parte determinante da necessária luta por justiça social em Portugal».

Num momento em que os reformados, pensionistas e idosos estão a receber o aumento extraordinário das reformas, os avanços registados são inseparáveis da luta mais geral por objectivos de justiça social, destacou aquele dirigente regional do PCP. Defendendo que é não só «urgente» como «possível» ir mais longe, de modo a assegurar pensões mais dignas e uma vida melhor, Leonel Nunes asseverou ainda que «O PCP continuará a lutar pelo direito a uma velhice com a dignidade a que todos têm direito».