Moscovo responderá com medidas simétricas a mais sanções
EUA ameaçam Rússia com guerra económica

SANÇÕES Moscovo avisou que responderá na mesma medida a eventuais novas sanções económicas impostas por Washington à Rússia, agora a pretexto do caso do agente duplo Skripal.

O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, assegurou que a imposição pelos EUA de novas sanções à Rússia seria considerada «uma declaração de guerra económica» à qual o seu país responderia com a aplicação de medidas adequadas.

Em declarações à imprensa, em Moscovo, Medvedev afirmou que essas sanções visam limitar o desenvolvimento da Rússia e impedir que seja um rival poderoso na esfera internacional. «Se Washington aprovasse a proibição de operações bancárias ou o uso de uma determinada divisa, por exemplo, estaríamos perante uma declaração de guerra económica e teríamos de responder com medidas económicas, políticas e, se necessário, de outra índole», especificou.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia anunciou que o seu titular, Serguéi Lavrov, conversou telefonicamente com o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, e manifestou o desacordo de Moscovo em relação às ameaças de sanções da Casa Branca.

A administração Trump divulgou na semana passada que novas «punições» contra a Rússia poderão entrar em vigor a 22 deste mês por considerar o país euro-asiático responsável por organizar um ataque químico contra o ex-agente russo Serguéi Skripal, que trabalhava para os serviços secretos britânicos, e a sua filha Yulia.

Em diversas ocasiões, e agora outra vez, o Kremlin negou a sua implicação nesse caso e denunciou a falta de provas, a ausência de explicações convincentes sobre vários aspectos do alegado envenenamento e a campanha mediática e política impulsionada pelos EUA e a Grã-Bretanha.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: