Combater a precariedade

Apesar da diminuição do desemprego no segundo trimestre de 2018, a precariedade continua a aumentar, afectando cerca de 900 mil trabalhadores considerou a CGTP-IN. Num comunicado de dia 8, a Intersindical defendeu que há razões para a revogação das normas que promovem e facilitam a precariedade nos sectores público e privado, para dar cumprimento ao princípio de que a um posto de trabalho permanente tem de corresponder um vínculo efectivo. A CGTP denunciou que a proposta de revisão laboral do Governo do PS, viabilizada por PSD, CDS e PAN, vai no sentido contrário, não dando resposta às justas reivindicações dos trabalhadores e acentuando a precariedade.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: