EUA e aliados encenam nova provocação na Síria

Os Capacetes Brancos e a Frente Al Nusra, ligada à Al-Qaida, preparam um falso ataque químico na Síria, após o qual os EUA, a França e a Grã-Bretanha atacarão aquele país árabe com mísseis teleguiados, denunciou a Rússia.

Os terroristas da Frente Al Nusra receberam na localidade de Halluz, perto de Yisr al-Shugur, na província síria de Idlib, contentores com cloro para efectuar um falso ataque químico e acusar Damasco pela sua responsabilidade, explicou no sábado, 25, um representante do ministério russo da Defesa, Igor Konashénkov.

O falso «ataque» seria o pretexto para as forças ocidentais lançarem mísseis contra a Síria, bombardeando serviços públicos e infra-estruturas económicas. Para isso, já chegou ao Golfo Pérsico o navio de guerra estado-unidense «The Sullivans», com 56 mísseis a bordo, e um bombardeiro estratégico B-1B, com 24 mísseis, foi colocado na base aérea de Al Udeid, no Qatar.

Konashénkov precisou que um grupo especial de milicianos treinado no manejo de substâncias tóxicas, pela empresa privada militar britânica Oliva, chegou à zona de Yisr al-Shugur. Esses milicianos, uniformizados como membros dos Capacetes Brancos, têm por missão «resgatar» os afectados pelo suposto ataque químico. A provocação conta com «a participação activa de forças especiais britânicas».

No início de Abril, os EUA e seus aliados acusaram Damasco de levar a cabo um ataque químico na cidade de Duma, após o que efectuaram, a 14 desse mês, um bombardeamento contra alvos governamentais.

Agora, a nova provocação ocidental segue-se a uma série de alegados ataques químicos atribuídos ao governo sírio, sem que tenha sido apresentada qualquer prova, excepto controversos vídeos encenados por organizações «humanitárias» como os Capacetes Brancos, comprovadamente ligadas a grupos terroristas e a serviços secretos ocidentais.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: