Breves
Ásia e Pacífico preparam acordo


Os 16 países da Associação Económica Integral Regional (RCEP) da Ásia Pacífico vão concluir em 2018 as negociações para um acordo comercial. No final da reunião ministerial do pacto, a 30 e 31 de Agosto, em Singapura, foi revelado que as partes se comprometeram a terminar este ano as conversações sobre a abertura dos mercados de produtos, serviços e investimentos. O grupo integra os membros da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) – Brunei, Camboja, Filipinas, Indonésia, Laos, Malásia, Myanmar, Singapura, Tailândia e Vietname –, mais Austrália, Coreia do Sul, China, Índia, Japão e Nova Zelândia. Será o maior bloco comercial do mundo, com um terço do produto interno global.


Baía de Bengala defende cooperação

A 4.ª cimeira da Iniciativa da Baía de Bengala para a cooperação técnica e económica multi-sectorial (Bimstec), realizada a 31 de Agosto, em Katmandu, defendeu mais cooperação entre os países membros. Os líderes reunidos na capital nepalesa pretendem reforçar a cooperação nas áreas de conectividade, comércio, investimento, turismo, mudanças climáticas, luta contra delinquência transnacional e terrorismo, defesa da paz e segurança. O bloco regional, formado em 1997, integra sete estados do litoral e das áreas adjacentes da Baía de Bengala, com 22% da população mundial: Bangladesh, Butão, Índia, Tailândia, Myanmar e Nepal.


Índia espera ser 5.ª economia em 2019

O ministro das Finanças da Índia, Arun Jaitley, vaticinou que o país ultrapassará a Grã-Bretanha em 2019, tornando-se a quinta maior economia mundial. Segundo o governante, citado pelo diário The Hindu, outras economias estão a crescer a um ritmo lento (1 ou 1,5%) e a Índia (que cresce à média anual de 7 ou 8%) tem potencial para estar entre as três principais economias do mundo dentro de 10 ou 20 anos. Segundo o Banco Mundial, as maiores economias, hoje, são os EUA, a China, o Japão e a Alemanha.


Vietname festeja independência

Por ocasião dos 72 anos do dia da independência do Vietname, no domingo, 2, milhares de pessoas renderam tributo a Ho Chi Minh no mausoléu consagrado em Hanói ao seu primeiro presidente. O herói nacional vietnamita, que dirigiu a luta vitoriosa contra o domínio francês, primeiro, e contra os invasores estado-unidenses, depois, morreu em 1969, a 2 de Setembro. As homenagens repetiram-se em locais associados à independência e à Revolução de Agosto (1945-1954) que pôs fim ao colonialismo francês nessa parte da península da Indochina e possibilitou a fundação da República Democrática do Vietname, mais tarde República Socialista do Vietname.


Nova cimeira entre Moon e Kim

Os presidentes da República da Coreia, Moon Jae-in, e da República Popular Democrática da Coreia (RPDC), Kim Jong-un, vão encontrar-se em Setembro. A terceira cimeira dos dois líderes está a ser preparada em Pyongyang e Seul e vai abordar o desenvolvimento das relações inter-coreanas, a desnuclearização da península e o estabelecimento da paz na região. Recentemente, o presidente estado-unidense, Donald Trump, suspendeu uma visita do secretário de Estado Mike Pompeo a Pyongyang por «falta de progresso» quanto à desnuclearização. Os norte-coreanos têm criticado a hipocrisia dos EUA, que falam em diálogo e ao mesmo tempo reforçam as sanções contra a RPDC.


Paz difícil no Sudão do Sul

As facções que se opõem ao governo de Juba não se entendem quanto à assinatura de um acordo de paz no Sudão do Sul. Para tentar resolver as dificuldades, vai realizar-se mais uma reunião, em Cartum, capital do Sudão, da Autoridade Inter-governamental para o Desenvolvimento (IGAD), que reúne países do Leste da África. Aquela entidade vai tentar pôr fim à guerra civil que dura há cinco anos e que causou dezenas de milhares de mortos e milhões de deslocados, bem como a destruição da infra-estrutura económica sul-sudanesa.