«Hoje e amanhã milhares de portugueses regressam de férias. Espero que cheguem sãos e salvos».

(Rui Zink,
Correio da Manhã, 1.9.18)

 

«Os desastres na estrada, os atropelamentos em localidades, as perdas de vida não são "normais"».

Idem, Ibidem

 

«Passam [o Governo] para as autarquias as escolas, os centros de saúde, mas não passam o cheque».

(Rui Moreira,
Expresso, 1,9,18)

 

«As pessoas que trabalham mais de 11 horas por dia têm 2,5 vezes mais probabilidades de sofrerem depressões do que as que trabalham sete a oito horas diárias».

(Fernando Ilharco,
negócios, 31.8.18)

 

«Mais horas de trabalho não garantem maior produtividade, nem mais resultados, nem maior riqueza».

Idem, Ibidem

 

 

«O peso dos lobbies económicos fez-se sentir na demissão de Hulot [ministro francês que se demitiu do cargo em directo pela TV], como já acontecera com os ministros da ecologia que o antecederam».

 

Vicente Jorge Silva
Público, 2,9.18)

 

«Há quem fale por tudo e por nada, mas também há silêncios que matam [sobre eventuais crimes de burla relativos à reconstrução de Pedrógão].

(José Brissos-Lino
Público, 2,9,18)

 

«A informação [em Portugal] é um jogo, tem determinados objectivos, (...) no fundo pretende combater a favor de uma causa que a mim não me interessa especialmente, o capitalismo».

Artur Portela Filho
(Público, 3.9.18)