- Edição Nº2336  -  6-9-2018

Povo de Darque vota na mudança e substitui PS pelo projecto CDU

AUTARQUIAS O PCP-PEV venceu as eleições intercalares na Freguesia de Darque, concelho de Viana do Castelo onde o PS insistia em governar sozinho, embora tivesse maioria relativa.

No sufrágio realizado no passado domingo, 2, a CDU obteve seis mandatos em 13 (em 2017 tinha alcançado quatro eleitos), resultado que decorreu da manutenção, no fundamental, do número de votantes. Já o PS, apesar de ter mantido os cinco eleitos, perdeu centenas de votos, tal como o PSD, que passou de três para um mandato na Assembleia de Freguesia (AF), tendo perdido igualmente centenas de votantes. O CDS manteve um vogal.

Assim, a lista apresentada pelo PCP-PEV, encabeçada por Augusto Silva, resgatou ao PS, que voltou a apresentar Fernando Garcês para a presidência de Darque, uma freguesia de Viana do Castelo que a APU, e depois a CDU, governaram entre 1982 e 1993.

As eleições intercalares foram precipitadas em Abril deste ano com a demissão dos vogais eleitos pela CDU e pelo PSD na AF de Darque. Em causa, apurou o Avante! em deslocação a Darque ocorrida faz hoje, quinta-feira, 6, uma semana, esteve a insistência do PS em governar sozinho, apesar de não ter maioria absoluta.

A «teimosia» de Fernando Garcês e respectivos correligionários não foi uma situação nova, uma vez que entre 2013 e 2017 constituíram um executivo apenas com elementos do PS, mesmo em minoria.

Mudança séria
Não é por isso de estranhar que num jantar com activistas e apoiantes, realizado a 30 de Agosto e em que participou e interveio Jerónimo de Sousa, Augusto Silva tenha salientado que «votar na CDU é votar na pluralidade democrática»; é decidir que «todos têm uma palavra a dizer sobre os projectos e medidas a implementar»; é «votar em gente trabalhadora, honesta e competente» que «não comete ilegalidades».

Na iniciativa, para a qual, revelou Augusto Silva, foram «recusadas muitas inscrições» devido à impossibilidade de acomodar no mesmo espaço todos os que queriam participar, o cabeça-de-lista da CDU e agora presidente da Junta de Freguesia de Darque, garantiu que os comunistas e os seus aliados (cerca de 80 por cento dos membros da lista PCP-PEV não têm filiação partidária) tudo farão para estar à altura das responsabilidades.

A encerrar o jantar-convívio, o Secretário-geral do PCP constatou que a mobilização extraordinária e o entusiasmo que se verificava em torno da CDU traduziam o reconhecimento de que o PCP-PEV é diferente dos demais. Porque se apresenta para servir as populações e não para que os eleitos se sirvam dos cargos públicos ou deles beneficiem materialmente; porque a CDU tem «um projecto imbatível» enquanto os outros têm umas ideias soltas.

«Aqui está uma demonstração de que é possível a mudança. Que assim seja», referiu ainda Jerónimo de Sousa. E assim foi!

Já anteontem, a Comissão de Freguesia de Darque do PCP emitiu uma nota assegurando que «o grande desafio» é «pôr fim à degradação» e «à falta de visão global» dos últimos anos. Tendo a CDU ganho as eleições intercalares «com o nosso projecto» mas também com «o compromisso de trabalhar com todos», assim o fará, acrescenta-se.