Viagem da resistência aos Açores

A União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP) promoveu, de 1 a 5 de Outubro, uma viagem aos Açores, com o objectivo de homenagear os cerca de 500 presos políticos que passaram pelas masmorras fascistas de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

No primeiro dia foi apresentado o livro «As prisões políticas de Angra do Heroísmo – Fortaleza de São João Baptista e Forte de São Sebastião (Castelinho)». A sessão, no salão nobre da Câmara Municipal, contou com a participação de uma centena de pessoas. Nela intervieram – para além de César Roussado, do Conselho Directivo da URAP, que moderou a palestra – Marília Villaverde Cabral e Álamo de Meneses, respectivamente, Coordenadora da URAP e presidente do município.

No dia 2 os 40 antifascistas visitaram a fortaleza e o forte, por onde passaram Bento Gonçalves, Sérgio Vilarigues, José Gregório, Joaquim Pires Jorge, Mário Castelhano, Ludgero Pinto Basto e José Estrela, entre outros presos políticos.

Os participantes desfrutaram de outros momentos de cultura e de lazer, nas ilhas Terceira e de S. Miguel.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: