Breves
Lembrar o Nobel a Saramago

O 20.º aniversário da atribuição do Nobel da Literatura a José Saramago foi assinalado no Parlamento com a aprovação unânime de um voto de saudação. Apresentado pelo PCP, de que foi militante desde 1969 até ao fim da vida, no texto sublinha-se que ao ser graciado com o Nobel, o único atribuído até hoje a um autor de língua portuguesa, Saramago conferiu uma dimensão mundial sem precedentes à literatura, à língua e à cultura portuguesas e tornou-se o mais universal dos escritores portugueses, traduzido e editado em 27 países». Realçadas no voto são ainda as suas «dimensões intelectual, artística, humana e cívica», sendo recordada a sua intervenção activa na resistência ao fascismo, acção continuada após o 25 de Abril de 1974 enquanto «protagonista da construção de uma democracia que tinha como referência primeira a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo e do País».


Valorização da Educação

O 20.º aniversário da atribuição do Nobel da Literatura a José Saramago foi assinalado no Parlamento com a aprovação unânime de um voto de saudação. Apresentado pelo PCP, de que foi militante desde 1969 até ao fim da vida, no texto sublinha-se que ao ser graciado com o Nobel, o único atribuído até hoje a um autor de língua portuguesa, Saramago conferiu uma dimensão mundial sem precedentes à literatura, à língua e à cultura portuguesas e tornou-se o mais universal dos escritores portugueses, traduzido e editado em 27 países». Realçadas no voto são ainda as suas «dimensões intelectual, artística, humana e cívica», sendo recordada a sua intervenção activa na resistência ao fascismo, acção continuada após o 25 de Abril de 1974 enquanto «protagonista da construção de uma democracia que tinha como referência primeira a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo e do País».