Até aqui, a despesa com este evento [Web Summit] era de 1,3 milhões de euros por ano, valor que passa para 11 milhões de euros a partir do ano que vem.”

(Luís Villalobos, Público, 11.10.18)

 

Sempre critiquei os executivos camarários nestas matérias [apoio aos mais desfavorecidos], mas só o de Rui Moreira tentou calar-me.”

(José António Pinto, ibidem)

 

Faço o que ele quiser para que ele [Jair Bolsonaro] fale o que pensa. E prometo não o stressar, falar de forma calma.”

(Fernando Haddad, ibidem)

 

A comunicação social, com o seu crescente estilo tablóide, tem muita responsabilidade na deriva populista e autoritária a que se assiste nos nossos dias em países como o Brasil, os EUA, a Itália, etc.”

(José Pacheco Pereira, Visão, 11.10.18)

 

O antigo governo reduziu drasticamente o número de travessias por barco entre as duas margens. Queria acabar com as carreiras do Seixal e do Montijo. Não o permitimos.”

(Joaquim Santos, Jornal Económico/Imobiliário, 12.10.18)

 

Somente sociedades informadas, com acesso generalizado à cultura e à educação, poderão combater esta nova vaga de fascismo que vive da propagação do medo do desconhecido e da produção de informação falsa.”

(Tiago Saraiva, i, 15.10.18)

 

Tradição de corrupção que, agora, desaguou no actual presidente ‘à força’, Michel Temer, acusado de corrupção até à raiz dos cabelos, tal como os seus ‘apaniguados’ que montaram o ‘golpe’ contra a presidente Dilma Rousseff (da qual Temer era vice-presidente), expulsando-a do poder.”

(Alfredo Barroso, ibidem)

 

O simbolismo da exumação do ditador [Francisco Franco] possui um significado quase catártico: representa o fim de uma era e a condenação última do regime.”

(Rúben Leitão Serém, Público, 15.10.18)