A resistência
e a luta
dos trabalhadores garantem vitórias
Resultados positivos estimulam continuação das lutas

JUSTIÇA A Ribatejana Verde voltou a ser condenada, na Relação, dia 2, o que vem dar força à mobilização dos trabalhadores para a greve que amanhã tem lugar em várias empresas do Grupo Barraqueiro.

O Tribunal da Relação de Évora confirmou a sentença do Tribunal de Trabalho de Santarém, devendo a transportadora atribuir quatro dias por mês de crédito de horas para que os dirigentes sindicais possam desenvolver actividade, bem como pagar as horas ilegalmente descontadas aos trabalhadores que exerceram esse direito – defendeu a estrutura distrital da CGTP-IN.
Num comunicado de dia 5, a União dos Sindicatos de Santarém (USS) assinalou que este acórdão «vem obrigar a empresa a tomar medidas para que sejam respeitados os direitos sindicais», em vez de «insistir numa fuga para a frente, como tem acontecido».
«Mais esta vitória deve inspirar os trabalhadores da Ribatejana Verde a aderirem à greve convocada, pelo STRUP, para o dia 9 de Novembro por melhores condições de trabalho», comentou a União.

No final de Outubro, a USS tinha saudado a sentença do Tribunal Judicial de Santarém, que condenou a Enviroil II, na Carregueira (concelho da Chamusca), por ter despedido uma trabalhadora, em Novembro de 2017, quando esta estava de baixa devido a uma gravidez de risco. A União realçou que o tribunal deu como provado que a precariedade laboral em que assentava o contrato da trabalhadora tinha fundamentação falsa, pelo que a caducidade invocada pela administração não poderia ser válida.
Constituindo uma vitória da trabalhadora, a sentença representa também um exemplo «para que outras administrações não tenham comportamentos vergonhosos no que diz respeito aos direitos de parentalidade», comentou a USS.

Nos municípios da Amadora e de Torres Vedras foram assinados com o STAL/CGTP-IN os mais recentes acordos colectivos de empregador público, repondo o acréscimo de três dias de férias anuais. Ficam ainda garantidos outros direitos.

Greve amanhã
no Grupo Barraqueiro

«Perante a grande mobilização que se verifica nas empresas do Grupo Barraqueiro abrangidas pelo pré-aviso de greve para dia 9, o patrão do respectivo grupo demonstrou mais uma vez que tem medo de negociar directamente com os representantes dos trabalhadores, embora se veja obrigado a ceder perante as suas reivindicações», comentou a Fectrans/CGTP-IN, no dia 5, a propósito de uma proposta patronal apresentada ao pessoal da Mafrense (um dos núcleos da Barraqueiro Transportes).
Esta posição «só aparece porque os trabalhadores estão em luta», salientou a federação.
A Fectrans e o seu sindicato STRUP convocaram para amanhã, dia 9, uma greve na Barraqueiro Transportes (abrangendo as empresas Boa Viagem, Estremadura, Mafrense, Barraqueiro Oeste e Barraqueiro Alugueres), na Ribatejana Verde, na Rodoviária do Alentejo, na Isidoro Duarte, na JJ Santo António e na Cityrama.
Para dar força à exigência de aumento dos salários e melhoria das condições de trabalho, está ainda convocada uma concentração no terminal rodoviário do Campo Grande, em Lisboa, que depois prossegue frente à sede do grupo.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: